sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

É proibido mudar de opinião!


Estamos condenados à estagnação. Proibidos de mudar de opinião, partido, crença ou qualquer outra coisa que não sejam as roupas. Vemos campanhas midiáticas a respeito da necessidade de tolerância religiosa, aos homossexuais, mas a sociedade não aceita que você mude de ideia.
Myrian Rios está experimentando isso na pele. Por um longo período ela viveu à custa de sua imagem, fosse ela com roupa ou não, mas num dado momento, decidiu que era hora de mudar. Mudou de roupa, cabelo, crença, jeito de falar e valores. Ah sim, os valores! Antes ela não se importava com a exploração apelativa de sua imagem, mas hoje seus valores são outros. Porém, a mídia não lhe permitiu a mudança tão radical com tranquilidade! Logo choveram críticas e fotos de uma Miriam antiga, com valores diferentes dos atuais. Condenaram-na! Dizem, com seus julgamentos engessados, que ela não tem direito a opiniões tão contrárias a seu passado.
Mas, a Xuxa também não se arrependeu pelo passado “constrangedor”? Até onde me lembro, constantemente aparecem notas em que ela está pleiteando na justiça o direito de não ter imagens de seu filme “adulto” divulgadas. Mas, por que a mídia não critica a loira como está criticando a deputada? Xuxa alega que seu trabalho hoje não tem nada ver com seu passado, e tenta proteger seu público infantil das escolhas feitas em seu início de carreira, enquanto Myrian Rios deve sua mudança, à fé que professa. As pessoas tendem a julgar como “fanático” aquele que é capaz de abrir mão do que era, para se tornar nova criatura.
Diante de todo o estardalhaço gerado, chego à conclusão de que se você cometeu algum erro ou tomou uma decisão da qual se arrependeu, esteja preparado para ser julgado (e condenado) pelos que estão a sua volta. Ninguém pode dar um mau passo e depois de arrependido, mudar severamente de conduta e opinião sem estar preparado para ver seu passado estampado em redes sociais. As pessoas são intolerantes por natureza, e em sua grande maioria, não acreditam ou aceitam mudanças. Eu, porém, continuarei acreditando que a mudança é fundamental em nosso processo de amadurecimento.
O texto da lei proposto por ela, de acordo com o site G1, diz em sua redação que "serão desenvolvidas ações essenciais que contribuam para uma convivência saudável entre pessoas, estabelecendo relações de confiança e respeito mútuo, alicerçada em valores éticos, morais, sociais, afetivos e espirituais, como instrumento capaz de prevenir e combater diversas formas de violência". Se concordo com o que está sendo proposto? Claro! Nossa sociedade está vivenciando seu momento de pior crise moral. Meninas de doze anos embalam seus filhos, ao invés de bonecas, e este é só um dos aspectos de uma sociedade de valores distorcidos. São tempos em que o “ter” é mais valorizado que o “ser”, de nada importa ter um bom conteúdo se o exterior não puder ser exibido orgulhosamente nas capas de uma revista semanal. A lei e a deputada estão sendo duramente criticadas por ir contra a tudo que hoje consideram “normal”.
Enfim, a filosofia de caminhoneiro se mostra mais uma vez verdadeira, apesar de clichê: “só o que está morto não muda”.

_________________________
O título faz referencia a música de João Alexandre, "É proibido pensar"


2 comentários:

  1. fantástico...na hora q li o titulo do post lembrei da musica do João Alexandre....bao citação Ana Santos.... muito bom adorei

    ResponderExcluir
  2. Ana,

    Às vezes um chavão pode abrir portas enormes... rs!

    Que bom que você gostou (do clichê) da frase final do poema Mude.
    Só o que está morto não muda.
    Esse poema começa assim:
    Mude, mas comece devagar, porque a direção é mais importante que a velocidade.
    Que, aliás, não é de Clarice Lispector, como muita gente erradamente supõe.

    Se puder, veja o poema todo, assim como o vídeo e o livro Mude, publicado pela Pandabooks, com prefácio de Antonio Abujamra, e à venda nas maiores livrarias.

    E o vídeo Mude pode ser visto aqui, no Comercial da Fiat:
    http://www.youtube.com/watch?v=-IwFkGLRKps
    Ou aqui:
    http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=KlP9XpjVsas

    Devidamente registrado na Biblioteca Nacional do Ministério da Cultura – Registro 294507 – Livro 534 – Folha 167 – em 04/08/2003.
    Até a Revista Veja publicou matéria a respeito: http://veja.abril.com.br/090703/p_103.html
    Além disso, tal poema também já foi publicado por Pedro Bial na faixa 4 do CD Filtro Solar.

    Detalhes em http://Mude.blogspot.com

    /// Para o poeta, o importante é encantar o coração do leitor. Mesmo que este suponha ter sido encantado por Clarice Lispector...

    /// Abraços,

    ResponderExcluir