domingo, 29 de maio de 2011

Salomão ou Tio Patinhas?

Numa conversa informal e muito agradável sexta-feira pela manhã pude aprender um pouco da história de pessoas queridas que venceram na vida. Pessoas que não nasceram em lar abastado, que não ganharam na loteria nem fizeram um casamento por interesse, mas que batalharam muito para conquistar estabilidade financeira. Comum a todos os exemplos de superação, estava o compromisso que assumiram com Cristo, além de, muito trabalho e renúncias.
Em tempos quem os conceitos do Tio Patinhas (dinheiro, dinheiro, dinheiro!) são mais valorizados que a Palavra de Deus, fiquei feliz em ouvir que pessoas normais, pessoas como eu e você meu querido leitor, conseguiram conquistar posições inimagináveis sem fazer barganha com Deus, ou lhe apontar o dedo dizendo que “mereciam” ganhar isso ou aquilo.
Um homem próspero, rico e sábio que não fez barganha com Deus foi Salomão. Na época em que viveu ficou conhecido em todo mundo graças à sabedoria que lhe foi dada por Deus. O que quase ninguém observa é que esta sabedoria chegou depois de um grande sacrifício (desinteressado) onde foram oferecidos 1000 holocaustos como forma de adoração a Deus. Não “determinou”, exigiu “direitos”, ou mesmo repetiu algumas frases de efeito, apenas O adorou. E Deus deve ter realmente se alegrado com a atitude de Salomão, pois naquela mesma noite o visitou e disse que poderia pedir o que quisesse que Ele lhe daria. Salomão ofereceu sacrifícios sem pedir nada em troca, reconhecendo a grandeza e as beneficências do Senhor.
Acredito que a bênção do Senhor recai sobre aqueles que O amam e O buscam desinteressadamente e não porque querem ter um apartamento na Vieira Souto. O segredo de ter uma vida próspera está nas escolhas que fazemos. Além das escolhas profissionais, é preciso saber escolher o que será prioridade em nossas vidas: dinheiro, família, vida com Deus, status...  Sempre que a prioridade estiver em algo efêmero, será cobrado um alto preço, às vezes maior do que podemos pagar. É preciso escolher um caminho para trilhar, trabalhar com afinco, se esforçar dando o melhor por aquilo que acredita, principalmente para o Senhor. As bênçãos materiais serão consequência deste estilo de vida e não de ensinamentos distorcidos de uma pobre teologia da prosperidade com sua doutrina de determinismos, confissões positivas e pregações do Tio Patinhas. 

quinta-feira, 26 de maio de 2011

As pessoas são batatas

  
 Quando conversei com minha amiga Daniele sobre o fato que me levou a escrever o texto que publiquei ontem, expliquei a minha teoria sobre “pessoas batatas” (aquele tipo de gente sem personalidade). Ela assimilou tão bem o meu conceito, que escreveu o seguinte texto:

       "Batatas são versáteis. Ou seria melhor chamá-las de influenciáveis? Seja o que for, basta saber que batatas combinam com quase tudo. Frita, cozida ou assada. Almoço, lanche ou jantar. Restaurante chique, pensão, lanchonete. Se a refeição é trivial, batata frita; se for um jantar especial, gratinada com ervas finas. Acompanha os mais diversos pratos. Bife com... batata frita; estrogonofe com... batata sauté. Não é preciso ser um chef para dar um jeito de incluir a batata no cardápio. Ela sabe ser simples ou requintada, depende do que você quer.
      Algumas pessoas são como batatas. Mudam de acordo com situações, grupos, interesses. Nunca sabemos realmente quem são, o que pensam e o que sentem. Tudo depende do momento, das influências que algo ou alguém esteja exercendo sobre elas. A diferença é que batatas não perdem seu sabor, enquanto “pessoas batatas” perdem sua identidade e sua credibilidade."


quarta-feira, 25 de maio de 2011

Amores não consumados




Existem amores que não serão eternos, serão apenas amores. Sem mãos dadas na velhice, "até que a morte os separe". Amor apenas para curar, acalentar a alma. Amor para provar que a vida é mais que rotinas cansativas e boletos vencidos.

Outros jamais serão consumados. É amar por amar, pura e simplesmente. Amar porque é bom amar, porque é necessário que alguém seja amado. Como já disse o poeta certa vez, é amar para preencher o vazio do outro, torcendo que quando chegar o momento, alguém também preencha o nosso. Amar porque amar faz bem, faz bem sorrir de um canto ao outro, faz bem dormir e acordar pensando nele, ou nela.





sábado, 21 de maio de 2011

Relicário

Ontem durante mais um engarrafamento de tirar qualquer um do sério, eu aproveitei para organizar o meu relicário de lembranças. Algumas mais recentes outras mais antigas. Repensando algumas situações, percebi que já me desvencilhei de muitas pessoas que fizeram parte da minha vida - algumas que me fizeram bem,me ajudaram a crescer, a aprender um pouco mais, e que com certeza, doeu soltar, deixar ir; outras  que me magoaram, feriram.  O mais importante nessa partida é o fato de não ter esperado ouvir delas um pedido de desculpas, perdão, ou mesmo uma justificativa, simplesmente liberei perdão e disse adeus às magoas.
Apesar de ser uma pessoa com certa dificuldade em desapegar das pessoas, uma hora deixo ir e sobrepujo minha dificuldade em assimilar mudanças, principalmente as repentinas. “Mudança” foi a palavra que determinou grande parte das situações que vivi nas últimas semanas, perceber que desapegar é um processo pessoal (ainda que seja lento) e necessário, me dá forças para seguir caminhando, permitindo que outras pessoas se aproximem, outras se afastem, e novos caminhos me desafiem.
O que me deu tranqüilidade foi lembrar o que está escrito em Eclesiastes: Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu [...] Tempo de espalhar pedras, e tempo de ajuntar pedras; tempo de abraçar, e tempo de afastar-se de abraçar”. Qual tempo virá agora? Não sei, mas tenho uma caixinha com bastante espaço para novas memórias.
Bom fim de semana pra todos!

sexta-feira, 20 de maio de 2011

Inquietações

A minha ansiedade sempre brigou com o meu espírito. Sempre tentei alimentar mais o espírito e ainda assim a ansiedade machucava a fé. Algumas situações me fazem parar e refletir sobre todas as promessas que tenho em minha vida e, por mais estranho que pareça, confiar é o meu desafio. Irônico, o Senhor me desafia a confiar nEle quando o óbvio seria eu jamais deixar de confiar. Seres humanos são patéticos! Foram criados por Deus, amados por Ele, convidados a fazer parte de sua família e ainda assim possuem dificuldades em confiar seus caminhos a Ele...! Fico cantarolando a música do Fernandinho: "Eu sei que sempre estás comigo Senhor / Tambem sei que nada acontece sem a tua vontade / Mas preciso aprender a confiar em Ti / Mas preciso aprender a descansar em Ti .... Todas as coisas cooperam para o bem Daqueles que te amam..." e percebo que aprender a confiar e descansar é tão importante quanto aprender a ter fé, a crer que existe um salvador, um remidor de pecados.
"Tudo entregarei... tudo entregarei...." Diz a parte final da música. Tudo entregar, tudo E-N-T-R-E-G-A-R. Apelei pro meu amigo superinteligente, o dicionário:
Entregar: verbo transitivo. 1 - passar (algo) as mãos ou a posse de; 4 - confiar em; 5 - render-se.
É, eu preciso realmente aprender a dar posse ao Senhor dos meus conflitos e ansiedades. Dar posse das preocupações que de repente dominaram minha mente .... Respiro fundo e penso: "tudo entregar, tudo" Entendo que neste momento, a minha única opção é render-me, aceitar que ELE sabe o que é melhor pra mim, ELE SABE....

terça-feira, 17 de maio de 2011

Algo que aprendi no fim de semana

Sabe o que é mais legal em você ter coragem de encarar alguém que lhe intimida?
É saber que sua timidez, seu medo de errar não era tão grande quanto a grata surpresa de encontrar no outro, um ser humano admirável.


segunda-feira, 16 de maio de 2011

Notícias

Oi gente amiga que acompanha esse blog, quero deixar bem claro que não desisti de escrever, mas o tripé que rege a minha vida literária (inspiração – tempo - internet para publicar) anda um pouco desestabilizado. Tenho tanto a dizer do muito que ando observando, principalmente sobre o quanto as pessoas podem ser surpreendentes, logo venho contar pra vocês.
Excelente semana para todos!

terça-feira, 3 de maio de 2011

Olhe ao redor

Clarice Lispector


“Olhe para todos a seu redor e veja o que temos feito de nós.
Não temos amado, acima de todas as coisas. Não temos aceitado o que não entendemos porque não queremos passar por tolos. Temos amontoado coisas, coisas e coisas, mas não temos um ao outro. Não temos nenhuma alegria que já não esteja catalogada. Temos construído catedrais, e ficado do lado de fora, pois as catedrais que nós mesmos construímos, tememos que sejam armadilhas. Não nos temos entregue a nós mesmos, pois isso seria o começo de uma vida larga e nós a tememos. Temos evitado cair de joelhos diante do primeiro de nós que por amor diga: tens medo. Temos organizado associações e clubes sorridentes onde se serve com ou sem soda. Temos procurado nos salvar, mas sem usar a palavra salvação para não nos envergonharmos de ser inocentes. Não temos usado a palavra amor para não termos de reconhecer sua contextura de ódio, de ciúme e de tantos outros contraditórios. Temos mantido em segredo a nossa morte para tornar nossa vida possível. Muitos de nós fazem arte por não saber como é a outra coisa. Temos disfarçado com falso amor a nossa indiferença, sabendo que nossa indiferença é angústia disfarçada. Temos disfarçado com o pequeno medo o grande medo maior e por isso nunca falamos o que realmente importa. Falar no que realmente importa é considerado uma gafe. Não temos adorado por termos a sensata mesquinhez de nos lembrarmos a tempo dos falsos deuses. Não temos sido puros e ingênuos para não rirmos de nós mesmos e para que no fim do dia possamos dizer "pelo menos não fui tolo" e assim não ficarmos perplexos antes de apagar a luz. Temos sorrido em público do que não sorriríamos quando ficássemos sozinhos. Temos chamado de fraqueza a nossa candura.Temo-nos temido um ao outro, acima de tudo. E a tudo isso consideramos a vitória nossa de cada dia.
__________________________
Estou sem tempo de produzir algo decente para o blog (estudando bastante, lendo mais ainda e sem internet em casa), mas partilho com vocês este belo texto atribuído a Clarice Lispector.
Excelente semana a todos!