Mudança de template



 Estamos em fase de mudanças por aqui...
A carinha do blog ainda vai mudar outra(s) vez(es).
Fiquem tranquilos, as postagens vão continuar regulares,
só o visual que pode mudar a qualquer momento!

Preciso de você

Ao som de Incomplete


Paguei semana passada a última parcela do financiamento. Pedi ao síndico que substituísse as lâmpadas do corredor e inclui na lista de compras a sua fruta predileta. Estava pensando em fazer para o jantar de amanhã o prato que você mais gosta, mas preciso que você descasque o abacaxi (sim, eu continuo alérgica). Apesar de controlar as contas da casa, decidir o que fazer no jantar e o que uma criança deve comer, não significa que sou tão independente assim, continuo precisando de você, todos os dias.

Finalmente tirei a habilitação. Não fazia o menor sentido continuar com medo de dirigir. Continuo fazendo besteiras no trânsito: sinalizo que irei mudar de faixa em cima da hora, avanço sinal vermelho amarelo e faço a curva daqui da rua muito fechada, mas estou me esforçando para melhorar. Mandei o carro para revisão, e aproveitei para retirar a película escura do vidro da frente (só fazia sentindo mantê-la com você aqui). Mas preciso de você aqui me chamando atenção na hora de mudar a marcha.

Ontem foi o primeiro dia de aula de nosso filho. Você ficaria orgulhoso em vê-lo seguir para a sala de aula sem derramar uma lágrima sequer. Hoje chegou empolgado cantarolando as musiquinhas da hora do lanche e também de lavar as mãos ... está cheio de energia! Ainda agora tentou amarrar o carrinho de controle remoto na Pipoca para ela passear mais rápido. Pobre coitada da cachorra! Sorte que está velha demais para reclamar das peraltices dele. A cada dia que passa, percebo que ele se parece mais com você... e não apenas no bom humor e na disposição para a bagunça, mas pelo carinho com os bichos e o olhar de ternura que me devota antes de dormir!



O dia dos pais se aproxima e ele me perguntou o que deve comprar. Ainda não sei bem o que responder, mas disse que você adoraria qualquer coisa que ele escolhesse. A dúvida está entre uma camisa do colégio ou um perfume do Boticário. Tentei explicar que a camisa do colégio só o "tio" da recreação deve usá-la. Outro dia ele viu aquele vidro de perfume que restou no seu armário, e como está no fim, achou que seria bom comprar outro. Contei que aquele era seu perfume predileto e agora vive querendo usar o "cheiro do pai".
Eu preciso de você aqui! Preciso de você para me ajudar a criar nosso menino. Preciso de você quando ele chegar do colégio querendo ajuda em matemática, mas principalmente quando tiver que aprender a fazer barba. Preciso de você quando trovejar e quando me lembrar de como adorávamos ver a chuva juntos. Preciso de você quando durmo, mas principalmente quando acordo; as horas já não passam iguais. 

Você me faz tanta falta ... Ainda não aceito sua partida. Esta casa foi comprada para ser palco das nossas histórias, abrigar os sonhos, o amor, nossa família! A janela da cozinha continua com a mancha azul (fruto da sua esperta ideia em misturar as tintas!), me recuso a apagá-la, porque afinal de contas, a casa era para ter você: seu jeito, suas escolhas, suas cores! Preciso de você para transformar as paredes beges e em verdadeiras telas de Monet, assim como fez quando me beijou pela primeira vez. Eu preciso de você, a cada dia que passa, a cada respiração, cada dia mais.

[Texto vencedor da 9ª edição OAPSS.]

Porque a vida é agora

Algo que eu e meu irmão temos em comum é o hábito de memorizar frases de filmes, comerciais, seriados, e outros tantos mais. Tempos atrás assisti um comercial da Visa que fiquei encantada. Procurei pela net o texto e não achei. Hoje, não mais que de repente, encontro o texto que vem a calhar com algumas conversas que tive com o Daniel (irmão) essa semana. Compartilho:
"Dizem que a vida é curta, mas não é verdade. A vida é longa para  quem consegue viver pequenas felicidades. E essa tal felicidade anda por aí, disfarçada, como uma criança traquina brincando de esconde-esconde. Infelizmente, as vezes não percebemos isso e passamos nossa existência colecionando nãos: a viagem que não fizemos, o presente que não demos, a festa à qual não fomos, o amor que não vivemos, o perfume que não sentimos. A vida é mais emocionante quando se é ator e não espectador, quando se é piloto e não passageiro, pássaro e não  paisagem, cavaleiro e não montaria. E como ela é feita de instantes, não pode e nem deve ser medida em anos ou meses, mas em minutos e segundos.
Essa mensagem da Visa é um tributo ao tempo. Tanto àquele tempo que você soube aproveitar no passado quanto àquele tempo que você não vai desperdiçar no futuro."
29/07/10

Activia resolve?

Macacos me mordam, estou em pânico: além dos textos que tenho que produzir para a RPM  nº. 2, estou inscrita em três concursos literários (assunto para felizes posts futuros) e quem disse que consigo escrever sobre os temas?

O que me "irrita" é que para prisão de ventre existe Activia, e para prisão de ideias, o que existe heim?


28/07/10 - 23:19h desesperada por não conseguir escrever... o jeito é desistir da "vigília" e ir dormir!

Dói, um tapinha não dói ?!

Sempre estive rodeada de educadores e por assistir  "Supernanny" desde a primeira temporada fui criando milhares de teorias sobre como educar crianças (acho um absurdo quem bate em criança por qualquer besteira; sei da importância da criança ter horário para brincar, comer, dormir, acordar, etc...; acho errado juntar vários motivos para chamar atenção, ao invés de falar na hora que a criança fez besteirinha e blá blá blá lero lero.) Mesmo sendo influenciada por diversos educadores (já li Foucault, Jean Piaget, Darci Ribeiro e tantos outros), e com tanto conhecimento teórico sobre como criar e disciplinar crianças, confesso que este projeto de lei que proibe a palmada me irritou um pouco.

Temos legislação tratando do assunto - Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) que é considerada uma das mais avançadas e modernas em todo mundo, e já tem 15 anos! Precisamos fazer com que a esta legislação existente seja cumprida e fiscalizada (Conselhos Tutelares estão inertes por quê? Porquê muitos acham que eleições para estes órgãos são pura balela e não acreditam que as denúncias sejam apuradas, ou o que é pior: ficam quietos, não denunciam porque pensam que cada um deve resolver os próprios problemas, ainda que envolva agressão física ao menor). O Estado não precisa ir para "dentro de casa" desta forma, afinal de contas dizer que uma palmadinha no bumbum equivale ao espancamento, é exagero!

Combater a violência doméstica é realmente necessário (óbvio!!), monstros pessoas que cometem tal crime precisam ser punidas severa e exemplarmente, mas não acho correto que os pais sejam impedidos de educar seus filhos com uma palmadinha ou outra. Os valores não podem ser invertidos desta forma! Uma coisa é um tapa no bumbum e uma cara feia pra mostrar que o filho está errado, outra é descarregar raiva e frustração numa criança com tapas, socos e palavrões, mas compete aos pais impor limites, educar e punir seus filhos.

Espero sinceramente que a sociedade discuta este projeto de lei e questione quais serão as (sérias) consequências desta aprovação.

#prontofalei!

Tô indo embora...


Vou para Israel.
Irei me mudar pra lá e ganhar um concurso de beleza!

Calma... tudo faz sentido!

Culpa do Léo, digo do Cueca, esse cãozinho lindo que está ao lado.
Entenda o motivo aqui ó.


27/07/10

Das lembranças de açúcar e sorrisos

Querido,

Hoje fiquei pensando em tudo aquilo que você escreveu e falou quando entrou em minha vida. Sentada em frente ao computador, tentei lembrar de todas aquelas palavras, que tanto me fizeram bem e de algumas que fizeram com que o amor parecesse injusto e cruel, quando na verdade só estávamos sofrendo com aquela confusão de sentimentos em torno de nós.

Hoje, ao notar seu sorriso numa ligação tão doce, também sorri. Suas palavras me fizeram flutuar. Foi tão bom relembrar tudo aquilo que você sentia, tudo aquilo que sabia sobre mim e muito do que eu ignorava. Nem sempre as histórias de amor são vividas como a gente espera, mas a vida é isso... é ver que tivemos a coragem de sentir, que não importa quantas vezes as frustrações tentaram endurecer o que há de bom em nós.

Apesar de toda a pose de forte e durão que você tenta passar, eu vejo (e talvez só eu veja) quão doce você é por dentro. Vejo como você se esforça pra manter uma imagem de inatingível, de “Senhor sempre certo”, mas no fim das contas, o que existe é a vontade de abandonar tudo e deixar pra trás o que passou, só pra se reinventar em outro lugar. Agradeço por me lembrar de tudo isso. Agradeço também ao tempo, que conseguiu nos fazer sorrir, mesmo que já tenhamos sofrido tanto. Ainda bem, pois espero que você continue o mesmo: doce e sonhador.

Eternamente de açúcar e sorrisos,

[Esta não é uma história autobiográfica. É só uma história. Estou exercitando meu lado escritora, já que no dia do escritor eu não consegui redigir nada... É, acho que ainda tenho muito que me construir... muito que me rascunhar...]
27/07/10

Dia do Escritor

Apenas para registrar: hoje,25/07, é dia do escritor, mas  não consigo escrever nada a respeito!

Arrasada!

Nunca, em toda minha vida estive tão triste!
Na verdade estou arrasada. Nenhuma situação me deixou tão mal, tão triste, tão decepcionada... Morte, separação, demissões, humilhações, nada conseguiu me deixar tão profundamente amarga.
O motivo? Filhos! Eu não posso tê-los. HUMANAMENTE falando, eu sou incapaz de gerar uma criança, (tenho fé que Deus pode fazer um milagre, se esta for a vontade dEle...) Mas o que me deixou arrasada, não foi saber deste problema, já convivo com isso desde 2007,o que me arrasou foi saber que uma das 10 grávidas que eu tenho convivido, abortou. Como ela teve coragem de fazer isso? Como decidiu tirar a vida de outra, porque não quer assumir as conseqüências de seus atos? Será que ela não percebe como é abençoada por   poder conceber? Será que não vê a benção que é ser mãe?
Como eu queria poder fazer algo... impedir, mudar esta história, amar esta criança, dar  a ela todo o amor que ela merece...
 Peloamordedeusmenina, me ligue e diga que desistiu, me diga que decidiu ter esse bebê, diga que deseja me dar essa criança, mas não aborte!
Estou arrasada, já chorei, gritei, pedi ao Senhor que não fosse verdade!
Por enquanto só consigo chorar e desabafar com vocês, meus queridos leitores...

25/07/10

Ufa!


Sabe, eu poderia falar que estou odiando esta total falta de tempo. Mas que mentira seria! Quanto mais trabalho, mais responsabilidades, mais matérias (sim, o nº 2 da revista já está sendo preparado... que frio na barriga!), eu dedico menos tempo aos meus planos infalíveis (que sempre dão errado). E percebo que quem se preocupa de verdade, quem se importa realmente, entende!

Vamo que vamo : )

21/07/10

Pisca-pisca

"A vida, Senhor Visconde, é um pisca-pisca. A gente nasce, isto é, começa a piscar. Quem para de piscar, chegou ao fim, morreu. Piscar é abrir e fechar os olhos - viver é isso. É um dorme e acorda, dorme e acorda, até que dorme e não acorda mais. […] A vida das gentes neste mundo, senhor sabugo, é isso. Um rosário de piscados. Cada pisco é um dia. Pisca e mama; pisca e brinca; pisca e estuda; pisca e ama; pisca e cria filhos; pisca e geme os reumatismos; por fim pisca pela última vez e morre.
- E depois que morre? - perguntou o Visconde.
- Depois que morre, vira hipótese. É ou não é?"

Memória de Emília ~ Monteiro Lobato

Muito barulho por nada...

Estou no quarto ouvindo o cd do Louv’art enquanto rascunho algumas ideias para o blog. Mãe e irmão na sala assistindo tevê. Vizinhos conversando animadamente no quintal da casa deles. Belinha derruba o portão que deveria impedi-la de passar para a varanda e vai até o muro dos vizinhos para latir, latir, e latir histericamente. Meus vizinhos ignoram completamente os latidos dela e continuam a gargalhar e beber.

-“Belinha, pra que esse escândalo?” Eu pergunto pra ela. (Quem será pior: eu por perguntar ou ela por me ignorar e continuar a latir?) Eles continuam conversando, bebendo e rindo enquanto você fica aí latindo sem parar. Ninguém da outra casa resolveu sair do quintal ou mesmo latir pra você. Então... Pra quê, sua idiota?

Peraê... Acabo de me sentir tão idiota quanto ela! Quantas vezes eu desperdiço minhas energias, minha voz para nada. Perco a calma com bobeiras do meu universo diário (na maioria das vezes eu poderia simplesmente ignorar, mas não consigo) No final o que eu ganho? Nada. Pura energia desperdiçada.

Bom seria se Belinha pudesse raciocinar um pouquinho assim: “sempre que eles ficam no quintal eu fico daqui de baixo latindo e nada acontece. Eles não vão deixar de beber a cerveja de sábado no quintal. A partir de agora eu não vou mais me cansar latindo à toa, vou ficar aqui quietinha na varanda brincando com o Mingau. Sinceramente... que tola que eu era!”.

Bom mesmo seria se nós conseguissemos pensar melhor antes de nos desgastarmos, perdermos a calma por tão pouco, porque no fim das contas é quase o mesmo que latir para vizinhos em seu quintal: simplesmente não adianta nada !

Livres, enfim!

Estava refletindo na palavra da pastora Denise no culto de mulheres – “Desfaça os laços que te aprisionam”.
Imagino que não seja fácil ficar livre de vícios como cigarro, álcool, drogas, mas ainda existe o entendimento de que estas coisas são ruins, que antecipam a morte e blá blá blá lero lero. Mas e quando o que nos prende tem aparência de coisa boa? Quando o que nos aprisiona é uma vontade, um desejo, algo que nos deixa felizes? Várias vezes oramos “livra-nos do mal”, mas na verdade não queremos ficar livres “daquele” mal, pois não o encaramos desta forma. Quer um exemplo? Desde que eu me submeti a uma determinada cirurgia não posso comer calabresa, pois passo mal. É fato: comer calabresa e ficar uns dois dias “verde” feito o Hulk e com dores abdominais terríveis. Sei que não devo, não posso, que me faz mal, mas ainda assim, vez ou outra, eu não resisto e deixo que ela me domine (quase sempre, a pizza de calabresa). Não é fácil resistir a esse mal (tão delicioso), mas é preciso.
Existem alguns laços emocionais, pessoas que quando estão presentes em nossas vidas nos fazem um mal terrível e nem por isso nos afastamos delas. Situações mal resolvidas que estão sempre atormentando nosso coração porque simplesmente não conseguimos desatar os nós que nos prendem a elas.
Com certeza não foi nenhum pouco fácil ouvir esta palavra, mas nem todo remédio é doce e este gosto amargo da verdade foi necessário pra mim (2ª Timóteo 2:25-26). Consegui identificar pequenas coisa que me prendem, pequenas situações que eu não julgava “calabresa” mas são.
Minha oração hoje é para que o Senhor nos faça ver onde estamos "presos" e nos ensine meios de sermos livres, enfim. 

P A Z

Ontem fiquei o dia inteiro cantarolando o refrão do louvor "Tocou-me" e quando a noite me sentei pra preparar um texto pro blog, fiquei pensando no trecho "de paz Ele encheu meu coração". O Senhor nos enche de paz quando sentimos que em meio as lutas não há mais esperança; quando a provação desanima nossa fé; quando sentimos a frustração ou a preocupação impedem os nossos olhos de alcançarem as promessas que Ele nos fez. A paz concedida pelo Espírito, dissipa qualquer dor, qualquer aflição. Para recebê-la, basta apenas que clamemos ao nosso Pai em oração, assim como fez Davi em 2 Samuel 22:7: "Na minha angústia, invoquei o SENHOR, clamei a meu Deus; ele, do seu templo, ouviu a minha voz, e o meu clamor chegou aos seus ouvidos."

Que nesta sexta-feira você possa derramar com sinceridade seu coração diante do Senhor e, que o Espírito Santo de Deus toque seu coração, lhe de paz, tranquilidade, e lhe faça ouví-lO dizendo: "eu me importo com você, recoste-se nos meus braços e descanse!"

Lindo dia e ótimo fim de semana!

Sobre um jeito de me entender



Me interesso pela espontaneidade, chegue como achar melhor, só peço que seja educado. 
Acredito no poder do bom humor, dificilmente acordo mal humorada, tire proveito disso, mas deixe que eu escove os dentes primeiro.
Gosto muito de carinhos, afagos, cafunés... Não espere que eu peça, me abrace sempre.
Tenho opinião sobre quase tudo. Gosto de política, mas não ouso discutir sobre ela. Acredito na justiça, na lei e nas pessoas. Não tente mudar isso em mim. Nossas diferenças não devem nos afastar. Sei que posso ensinar e também aprender com qualquer uma delas.
Não priorizo dinheiro, claro que ele é importante, mas não é tudo na vida. Entenda meu trabalho. Trabalhe com algo que goste. Não se venda por um salário que corrompa seus valores e ideais.
Não se prenda demais a um lugar, viajar é fundamental. Quero criar roteiros e descobrir lugares – juntos.
Quero encontrar em você segurança para tomar decisões. Encontre em meus braços um porto seguro, só  não transfira seus problemas para mim. Prometo fazer o mesmo.
Acredite em minhas verdades, inclusive as que eu não disser, apenas demonstrar com meus gestos. Se eu não perceber, me mostre quando eu errar, esteja pronto a me perdoar, mesmo que a mágoa ainda exista e me ensine como acertar.
Meu tempo passa de maneira diferente do relógio. Respeite meu silencio, meu choro, meu suspiro. Nunca me deixe muito tempo sozinha, você corre o risco de que eu aprenda a não sentir sua falta.
Seja forte, mas nunca deixe de ser sensível.
Não me preocupo como irá se vestir, prefiro o conteúdo. Não exijo diploma, “status”, alta patente. Só não fale “menas” ou “seje” ... já é um bom começo! Tenha o hábito de ler. Costumo não dar o braço a torcer com facilidade em minhas teorias e você precisará me fazer pensar.
Goste de si próprio, mas não seja egoísta. Goste de sua liberdade e respeite a minha, que seja ela a nos manter próximos. Seja você mesmo, sempre da forma e no tempo que quiser, desde que não desvie seu caráter.
Tenha amigos, divirtam-se juntos e preserve-os. Não pense em me afastar dos meus, isso me afastaria de você.
Não invente que eu goste muito de cozinhar, mas saiba eu tenho minhas especialidades. Não tenho muitos talentos manuais: não sei pintar, bordar, fazer crochê ou mesmo uma bainha, mas sei (e adoro) fazer massagem.
Goste de namorar, de música, chocolate, futebol, cachorro, pôr-do-sol e lua cheia. Tenha bom humor, pire de vez em quando pois algumas bobeiras são bem vindas.
Me enlouqueça. Me cative. Me diga não de vez em quando.
Mesmo que eu resista, tente me fazer gostar menos do computador e mais das caminhadas.
Não tenha medo de me contar suas histórias. Não minta sobre nada relevante.
Se não puder me raptar da minha rotina fisicamente, faça isso com um e-mail ou SMS, mas faça.
A TPM me deixa mais irritada e sensível. Seja flexível.
Sou míope e para compensar, escuto muito bem, por isso cuidado com o que for falar.
Creio em Jesus Cristo como único Salvador e isso é mais do que dizer "sou crente". Não prego religião. Eu vivo POR e COM um propósito e não abro mão disso!

A falta que faz...

Também temos saudade do que não existiu, e dói bastante”
(Carlos Drummond de Andrade)

Pior que a saudade de lembrar de alguém, de algo que fez parte da sua vida, é saudade do futuro. Leoni tem uma música que diz assim: “o que me dá raiva são as flores e os dias de sol, são os seus beijos e o que eu tinha sonhado pra nós...” Eu entendo que essa é a saudade da expectativa, do que foi planejado, sonhado e não vivido.
"E saudade do que não foi vivido existe?" Claro! Nós brasileiros estamos experimentando o sabor amargo da saudade do hexa. Quem sabe em 2014 esse amargo vira doce, mas até lá, vamos curtindo a saudade da vitória que não aconteceu.
Sinto saudade do que ainda não conheço, do que não vivi, do que tenho expectativa de viver. É como se eu estivesse conectada a diretamente com um futuro que pode não acontecer. Estranho, real e verdadeiro.
Nem toda saudade é ruim. Nem toda saudade é boa. Alguns momentos me sinto como Jó O meu espírito vai se consumindo, os meus dias vão se apagando...(Jó 17:1a)” e em outros eu tenho a mesma fé que Abraão quando creu contra a esperança, mas confesso que administrar isso nem sempre é fácil.

Hoje não está assim tão fácil ... e só por isso, fico por aqui mesmo (porque ninguém merece a Ana com saudades, né? Ainda mais saudades do que não viveu!).

Até 2014 ....

 

Que puxa.... perder pra Holanda depois das provocações que fizeram?
Ninguém merece!
(pior, fiquei rouca a toa!!!)

Alguém arrisca um palpite de quem será o próximo anão-técnico?

 
Blog da Ana Santos Blog Design by Ipietoon