segunda-feira, 6 de novembro de 2017

Depedência divina e nossa necessidade de controlar tudo



Você pode ler ao som de 17 dejaneiro – Os Arrais


Fui criada para ser independente. Nunca depender de ninguém, ser autossuficiente, capaz de resolver todo e qualquer perrengue. Por conta disso, reconhecer que preciso de ajuda sempre foi (e ainda é), bastante complicado. Há meses eu venho sofrendo dores terríveis, sem jamais conseguir pedir socorro. Perdi meu chão, tudo o que eu considerava concreto, simplesmente ruiu. Achava que em algum momento eu conseguiria me reerguer sem precisar admitir fragilidade, pedir ajuda. Fiz o caminho inverso de quem precisa de cura: ao invés de buscar socorro, segurava as minhas feridas com as mãos e escondia o que estava me matando com qualquer coisa que pudesse anestesiar o que estava sentindo.
.
Essa dor durou mais do que eu poderia imaginar. Aprendi que ela não vai embora até que você seja capaz de olhá-la de frente, até que entenda o que está causando a ferida. Não é qualquer olhar. É o olhar direcionado e acompanhado por Aquele que tem o manual da sua alma. Fui confrontada. A dor que me dilacerava era causada pela frustração, pela decepção, mas principalmente, por ver desmoronar o meu castelo de areia. A dor ainda é latente,viva, diária, mas desta vez, dói para não doer nunca mais.
.
Querer exercer o controle da minha vida, achar que eu sou autossuficiente, que sou capaz de me erguer sozinha, só fez com que as feridas aumentassem. O que não é tratado, te consome, domina e mata. Para que não fosse tarde demais, houve o confronto. Descobri que o caminho para a cura passaria por reconhecer o que causou tanto sofrimento. Ao olhar para mim, guiada pelo autor da minha vida, entendi que a dependência de Deus precisa ser genuína, não apenas da boca para fora. Essa dependência produz em mim a consciência dos meus erros e também das minhas necessidades. Necessidades estas que vão muito além do que eu julgava precisar. São necessidades reais, eternas, jamais saciadas por aquilo que o homem pode roubar ou tocar. Minha jornada para a cura teve início. Este é só o primeiro passo: reconhecer que preciso de ajuda e busca-la, no lugar certo. Voltei ao meu jardim secreto, estou tirando as folhas secas, as pedras, e cuidando do lugar onde encontro remédio para minha dor.
.
Tenho sido sustentada até aqui por pessoas que intercederam e sofreram com minhas lágrimas, mas estou certa, de que ainda irei florescer e celebrar com esses amigos, a primavera da minha vida.  

11 comentários:

  1. Ana amiga...Que texto lindo..😢😢😢😢

    ResponderExcluir
  2. Simplesmente lindo! Falou muito ao meu coração.

    ResponderExcluir
  3. Demais !
    Texto verdadeiro,palavras de quem vive o confronto diário entre a fé e a razão, escolhemos agir conforme aquilo que vemos ou deixamos ser guiados pela voz de Deus a nos dar ordenança de passos de fé.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Davi, mais do que escolher entre viver sendo guiada pela razão ou pela fé, eu precisei enxergar que minha fé estava seca, morta, porque eu só olhava para a minha dor. Alimentei meus medos como se fossem um gatinho, até que precisei despertar e mudar a forma de me relacionar com o que me faz sofrer e principalmente, com Deus!
      Abraço!

      Excluir
  4. Corajoso seu relato!
    Deus também está me tratando, estou em processo de cura.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É um processo lento e doloroso, Fátima, mas igualmente necessário, não é mesmo? Deus nos abençoe nesta caminhada!
      Abraço!

      Excluir
  5. Texto emocionante e real. Sabemos que tudo passa, porém temos que dar o primeiro passo que é reconhecer que precisamos de ajuda,que não podemos controlar todas as dores e tratar de forma superficial.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente, Míria. Eu arrisco dizer que não podemos controlar nada...rs.
      Abraço!!

      Excluir
  6. Respostas
    1. Drica, você sabe, você entende!
      ♥♥♥♥♥♥♥♥♥

      Excluir
  7. Lindo texto !
    Tem um hino que eu adoro que me lembra de casa detalhe deste texto !
    [...] Está sofrendo mas também tá aprendendo, né?
    Tá machucando, mas também tá te ensinando, então
    Toda promessa tem o tempo de espera,Mas Deus já decretou vitória nessa guerra,Fica tranquilo, não se desespera,Se foi Deus quem prometeu, a promessa está de pé, somente espera,Mantenha a calma, não perca a fé!Se o teu joelho está no chão, teu inimigo não consegue ficar de pé. Fica tranquilo, Deus está providenciando um sorriso, pra aquela noite que vc passou aflito, o seu gemido vai ser substituído por um hino de vitoria não ceda agora, Não se limite apenas ao teu sofrimento, eu sei exatamente o que estou fazendo, por mais que você hoje não esteja entendendo .[...]

    ResponderExcluir