quinta-feira, 10 de novembro de 2016

O amor convém



Enquanto você dorme em meus braços, fico repassando os últimos dias. O pensamento vai longe, tentando me lembrar de quando nos apaixonamos antes mesmo de nos conhecermos de verdade. Quando nos beijamos, percebi que seria seu para todo o sempre. 
Conheço você de olhos fechados e não há nada que não ame ou não admire.  Amo cada centímetro seu: pintas, sardas, a curva do seu sorriso e a maciez das suas mãos; a forma como presta atenção em mim, como me faz rir e até sua irritação; seu cabelo solto, seu olhos brilhantes, sua maneira de "conversar" com cachorros. Amo quando me leva para algum lugar incomum, quando fala das coisas que acredita e o fato de ser tão apaixonada pela vida. Amo quando inventa motivos para ficarmos juntos, apesar da rotina; seu jeito de olhar a chuva e admirar a lua. 
Você, sempre tão forte, tão intensa, dorme calmamente em meus braços. Por favor, não levante ainda, quero te olhar um pouco mais. Pode deixar, protegerei seu sono, lutarei pelos seus sonhos, mas quero apenas agradecer ao Pai por ter me dado você, por ter sido o seu “sim”...


Nenhum comentário:

Postar um comentário