terça-feira, 25 de março de 2014

Pessoas, compartimentos e hipocrisia

“Este povo me honra com os lábios, mas o seu coração está longe de mim. Em vão me adoram; seus ensinamentos não passam de regras ensinadas por homens". Mateus 15:8-9


Algumas pessoas separam tão bem o que são em casa, daquilo que são no trabalho, na igreja, que parecem ter personalidades diferentes. Ontem, eu e uma amiga conversávamos sobre este assunto, depois de percebermos que um determinado gestor age como um tremendo calhorda no ambiente corporativo, mas em casa é um ótimo pai e marido dedicado (tenho minhas dúvidas!). É como se de repente, ele dividisse sua vida em compartimentos e em cada um deles assumisse um comportamento diferente. Tem gente que fala palavrão no trabalho, mas em casa e na igreja é capaz de condenar ao inferno quem fala um simples “merda”. Pensar que existe uma forma diferente de ser em casa, na igreja e no trabalho é pura hipocrisia. Aceitar quem muda sua personalidade em nome de uma dicotomia por conveniência é apoiar o hipócrita. Não existe nenhuma área distante o suficiente para que Deus não nos veja. Ele sabe quem somos, por mais terríveis que possamos ser. Não há uma vida publica e uma particular, há somente uma vida, por que gastá-la com farsas e hipocrisia?


6 comentários:

  1. Mais cedo ou mais tarde, quem tenta disfarçar, numa hora acaba se mostrando! beijos,chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso é a mais pura verdade, Chica! Beijos!!

      Excluir
    2. Para Goffman, um sociólogo que estuda os comportamentos das pessoas em interação face a face, nós estamos sempre criando uma representação de nós mesmos para os outros. E quantos 'eus' existem em nós! Só que a gente realmente acredita que é aquilo que está demonstrando ser. Quando isso não acontece, somos considerados 'cínicos', e não sinceros. Até onde eu tenha lido, ele não fala em 'hipocrisia', mas acho que o conceito é próximo.

      Então, me parece que o problema não é essa multiplicidade de 'eus' que construímos para lidar com a dinâmica da vida social, mas a sinceridade que existe em cada 'eu' que assumimos nas diversas situações. Concorda ou não?

      Adoro seus textos, seu estilo fino e provocante.

      Um abraço.

      Excluir
    3. João,

      Se falta sinceridade nessa “multiplicidade de eu’s”, então é falsidade, hipocrisia, certo? Concordo que é necessário adotar certas atitudes no ambiente corporativo diferentes daquelas que temos em família e na igreja. São atitudes pontuais, isoladas. O que não é aceitável é a pessoa ter um caráter diferente para cada situação, o que na verdade só mostraria o caráter falho que na verdade possui. Não adianta me convencer que uma pessoa que demonstra não ter escrúpulos no trabalho, será um cordeirinho em casa. Me soa tão falso quanto uma nota de R$7.
      Obrigada por seu incentivo constante!
      Abraços!

      Excluir
  2. After looking over a number of the blog articles on your blog, I really like your way of blogging.

    I added it to my bookmark website list and will be checking back
    soon. Take a look at my web site as well and let me
    know your opinion.

    Check out my site :: bearded dragon food sheet

    ResponderExcluir
  3. Ana, adorei seu texto, uma abordagem bastante atual e realista, enquanto a humanidade continuar nesta dicotomia de representação, não se vai para frente, não se melhora como ser humano e a hipocrisia continua imperando neste mundo caótico. Seu versículo bíblico de Mateus, tão antigo e tão atual, só Deus através do Espirito Santo para modificar estas pessoas.
    As vezes penso, que estas pessoas agem desta forma por puro medo se se mostrarem como realmente são, como se estivessem usando pseudo armaduras para se proteger, se impor ou se esconder, uma necessidade tão grande para mascarar suas fragilidades e incapacidades. Continue escrevendo para nosso deleite e reflexão. Abraços.

    ResponderExcluir