segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Esperando que a vida passe


Chega uma hora em que a gente realmente cansa de confiar e começa a achar que só existe gente má, mentirosa, que ilude e usa as pessoas a sua volta por interesse. Sofri muito quando pessoas assim cruzaram meu caminho. A dor não passou. Ainda é conjugada no verbo presente e o coração dói tanto, tanto, que a dor passou a ser física. Posso jurar que o peito irá explodir a qualquer momento, tamanha a dor. 

Em algum momento, ficamos velhos e desistimos de nós, dos outros, dos sonhos... Ficamos cansados demais até mesmo da ideia de recomeçar e acreditar que as pessoas podem ser boas, honestas, verdadeiras. Algumas pessoas deixam bagagem pelo caminho, outras se perdem nele. Perdem a alegria, tranquilidade, o riso, o sonho. Eu entendo quem se perde. Diante de tanta dor, é fácil compreender que nem todos os sonhos foram feitos para a realidade. A gente cansa de viver armado, de ter todos os argumentos, de buscar a razão para tudo. Então simplesmente desiste de caminhar e fica olhando para aquilo que nos angustia com a sensação de foi vencido. Sem forças para levantar e protestar, passa a conviver com a dor da gente e a dos outros.

De repente senti que está tarde demais para abrir mão daquilo que aprendi a lidar, já aceitei que a vida é desse jeito e permito que ela passe. Simplesmente passe.

[Sem técnicas, apenas desabafo]


Um comentário:

  1. Fique tranquila, você terá um verão magnífico depois de um inverno tenebroso!

    A noite não é eterna!

    Elaine Elen Arsenio

    ResponderExcluir