segunda-feira, 4 de março de 2013

Sobre músicas e memórias



Em uma aula semana passada, a professora comentou a cerca de um texto de Ferreira Goulart em que ele narra os assaltos que sofremos por conta dos aromas. Somos tomados e nossos sentidos completamente dominados por tal cheiro. Vou além em meus pensamentos. Muito além do olfato, acredito que audição é a droga que mais entorpece nossa memória. Voz, música, acorde ou som de chuva, qualquer um deles pode nos assaltar em plena segunda-feira e nos fazer voltar a uma época remota e esquecida. Existem músicas que jamais poderão ser novamente escutadas sob pena de voltarmos no tempo e nos perdermos em meio a tantas recordações e memórias emotivas. Rick Blaine  sabia  muito bem o poder destrutivo para as lembranças que uma canção pode fazer, ou não teria proibido Sam de tocar As time goes by novamente (estou falando sobre Casablanca mais uma vez ... me prendam! rs rs). A verdade é que existem caixinhas em que nossas recordações são guardadas e basta uma música ou um cheiro, para que ela se abra e sejamos transportados no tempo. Hoje, ao ouvir uma canção que há muito não escutava, me dei conta de que por mais bela e doce sejam aquelas lembranças, elas simplesmente não me cabem mais. 


Inspiração musical "I miss you"

Nenhum comentário:

Postar um comentário