sábado, 30 de março de 2013

De repente, é pra você


Para ler ao som de Você abusou

“Há uma verdade universal que todos precisamos aceitar querendo ou não: tudo acaba algum dia. Mesmo tendo esperado muito por esse dia, eu nunca gostei de finais. O último dia do verão, o último capítulo de um livro, despedir-se de um amigo próximo. Mas finais são inevitáveis. As folhas caem. Você fecha o livro. Diz Adeus. Hoje é um desses dias para nós. Hoje dizemos adeus a tudo que era familiar, a tudo que era confortável. Estamos seguindo em frente. Mas mesmo ao estarmos partindo e isso dói, há pessoas que fazem tanto parte de nós que estarão conosco não importa o que houver. Eles são nosso chão, nossa Estrela Polar e as vozes em nossos corações que estarão conosco SEMPRE." Castle
Muito tempo se passou desde nossa última conversa, e com o tempo, muita coisa mudou. Percebi que podemos ser pessoas especiais, sem nunca nos dar conta disso. Não que eu tenha a pretensão de ser especial, a maioria das pessoas se decepciona um pouco quando me conhece de verdade, e com você não seria diferente, mas é que entendi que não preciso me esforçar pra tentar ser especial, sou diferente e talvez isso seja o suficiente. Depois de um tempo, você se acostuma e aprende a lidar comigo. Mas, acredite em mim, apesar de ter entendido isso, ainda me esforço para compreender que algumas pessoas jamais serão especiais para alguém, porque elas não estão preparadas para assumir tamanha importância na vida de uma pessoa. Infelizmente, você é assim. Não é culpa sua, nem de ninguém, é só uma questão de autopreservação. Você acredita que desta maneira, suas barreiras estão seguras, seus muros continuarão de pé. (Que idiotice!) Acha que realmente assim sua responsabilidade com os sentimentos alheios será menor? Pois eu lhe digo: não será! Assuma que não sabe ser um homem fiel, nem mesmo aos seus sentimentos. Assuma e mude, pois, apenas reconhecer não lhe transformará em alguém melhor. Sabe, um dia você vai descobrir que me disse muito mais com as palavras que calou do que em todas as tardes que passávamos conversando. Quanto a mim, vivo sabores e cores nítidas, enfim. Aprendi a valorizar momentos únicos, mas principalmente, quem é único. Nem sei sobre o que é este texto - se é sobre o quanto desperdicei lábios e palavras ao ter lhe doado tanto de mim, ou se é sobre minha vontade de lhe querer bem, e só. Se for sobre minha estupidez, amadureci. Algo mais do que necessário ou jamais teria me tornado imune aos seus encantos; mas se for sobre lhe querer bem, então já não há qualquer resquício de uma história que nós dois vivemos e só eu sofri, afinal, toda mágoa se foi e hoje só quero que esteja bem, pois hoje vivo em paz!

Nenhum comentário:

Postar um comentário