quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

Meu "Best Size" (porque plus size não seria suficiente)





Nunca fui militante do Plus Size, mas acho que todo mundo merece ser feliz com o tamanho que veste. Acho digno entrar numa loja da Riachuelo ou da Renner e encontrar roupas lindas para o meu manequim, seja ele 36 ou 54.  Essa história de que toda magra é feliz e toda gorda merece uma bariátrica já deu! O que não dá é pra ficar infeliz, recalcada, com inveja das amigas magras. Tenho amiga que veste 38 formato tábua e adoraria ganhar mais uns quilinhos, assim como conheço uma gordinha convicta que não pensa em emagrecer um grama. A diferença está no que a sociedade pensa a respeito de cada uma – a magra não precisa mexer em nada, enquanto a gorda deveria pedir a Deus pra nascer outra vez. Na boa, cada um merece ser feliz, amar, ser amado e encontrar um vestido de festa legal no tamanho que tem. Não vou emagrecer só pra agradar os outros, nem vou virar escrava da cinta! Ontem viajei a madrugada inteira e grande parte do dia, dormi em poltrona do aeroporto e feliz porque estava sem aquela cinta opressora me atormentando. Em alguns momentos ela é necessária (e uma amiga bem fiel), mas não vou me esconder atrás de um instrumento moderno de tortura só pra sair bem na foto. Sou uma mulher confortável, sim! E com muito orgulho! Quem me abraça sabe do que estou falando, rs*. Tenho me cuidado cada vez mais. Não abro mão da maquiagem nossa de cada dia, (só eu sei o poder de um corretivo pra um rosto com olheiras!), amo com mais intensidade os saltos e não vivo sem perfume. Não gosto de calça jeans (na verdade, não me gosto com calça). Adoro um vestido longo e colorido, saias jeans e blusas de cores fortes. Essa história de que preto emagrece é mentira! Isso só deve adiantar se comer a roupa preta, porque usei preto durante muito tempo e não emagreci nadinha, kkkkk.

Não tenho mais paciência pra gente que me liga e fala“que este ano você possa ficar bem magrinha, sem gordurinha nenhuma tá?!" ou que liga na hora do meu almoço e diz “vou aproveitar que você está almoçando pra falar bastante, assim você come pouquinho”. Não tenho mais paciência porque sou feliz com minhas medidas, porque sou amada por e com elas. Sou cheinha/gordinha/fofinha, sim, mas também sou alegre, divertida, inteligente, simpática, competente, esforçada e se as minhas medidas extrapolaram “o padrão”, é porque eu não sou uma pessoa que se adequou as formas dos outros e precisei criar meu jeito próprio de ser feliz.


Um comentário:

  1. Curti muuuuuuuuuito!!!!
    Concordo em gênero, número e grau. Confesso q os quilinhos a mais ganhos na gravidez me incomodaram, mas agora que já perdi quase todos eles (12kg no total) quero perder mais um pouquinho para voltar ao ballet. E concordo, a cinta é realmente insuportável, pena q terei q usar mais algum tempo!..rsrsr
    Vamos nos aceitar e sermos felizes.
    Amo vc minha Dotty Linda!
    Saudade dos seus abraços

    ResponderExcluir