Será que tem mesmo?

Não sou conhecida pela minha paciência tibetana, aliás, minhas raízes nordestinas de bicha fêmea com sanguenozóio (ué, mãe mineira e pai paraibano deu nisso...) vivem gritando. Hoje as raízes gritaram. De forma educada, mas gritaram. Irrita-me muito esse negócio de “tem que”. Você tem que comprar isso, tem que ter aquilo, tem que ir a tal lugar, tem que comer tal coisa, tem que vestir tal marca. É uma espécie de ditadura que acabam impondo sobre a gente e mal nos damos conta disso. Pois bem, estava saindo da academia quando reencontrei uma antiga colega de trabalho. Quase dois anos sem contato (o que não me entristece nenhum pouco), e a primeira coisa que ela me pergunta: “e aí, já teve filhinho?” Como pessoa educada que tento ser, disse que ainda não e que este é um projeto para o futuro. De pronto ela me respondeu: “ah, mas tem que ter logo, não é normal você casada há tanto tempo e ainda não ter tido nenhum filho.” Pronto, bastou ouvir o “tem que”, pro sangue ferver. Contei até 50, mentalizei as crianças cantando em “A noviça rebelde” (filme que assisti pela primeira vez ontem) e respondi: "Você me desculpe, mas eu estou com pressa e preciso ir.” E assim eu evitei ir para a cadeia por agredir quem se mete na vida alheia. Quis voltar para academia e fazer uma aula de boxe... achei prudente (e seguro para os outros)  evitar encontrar outras pessoas. Não sei se o que me irritou mais foi o ‘’tem que ter’’ ou o ‘’não é normal’’. Sei sim, foi o "tem que"... "Tem que" os cambau ... Claro que eu não deixei esse episódio estragar meu dia, mas aproveitei o que aconteceu para pensar no quanto as pessoas transmitem seus valores e julgamentos para nós o tempo inteiro. Sei que quando opino sobre determinados assuntos estou tentando dizer “comigo funciona desse jeito, seria bom se você tentasse”., mas tenho me esforçado bastante para ter o cuidado de não soar como se eu quisesse ser a dona da verdade. Tem que haver cuidado na escolha das palavras, na forma como vamos transmitir nossas opiniões, isso é fato! Eu sou normal por estar casada há algum tempo e não ter filhos, assim como acho normal que nem todo casal tenha filhos, e que alguns nem mesmo queiram tê-los. Tem muita gente por aí colocando filho no mundo pelos motivos errados, seja para obter uma falsa segurança no relacionamento, atender expectativas da sociedade, ou outros tantos que não caberiam nesse texto. Por que não escolher a segunda opção: adotar um cachorrinho? Algum tempo atrás a Flávia Mariano  falou sobre isso, e a discussão nos comentários foi boa. A Flavia Shiromma  abordou este assunto ano passao e também a incomodou ter sido tachada de anormal, pelo simples fato de não atender as expectativas da sociedade no momento em que ela nos cobra. Enfim, ter filhos quando e se quiser (e puder pagar por eles, afinal serão dívidas eternas...rs*) serão sempre opções normais, de pessoas normais, assim como eu, como você que está lendo e me achando a mais neurótica-estressada das criaturas, rs*.
Ps.: De qual passado com cheiro de naftalina que eu desenterrei “os cambau”?

8 comentários:

  1. Hahaha!!!
    Noviça Rebelde foi hilário! rs

    Ana, esta sua colega foi realmente inconveniente demais! Tem gente que não consegue perceber quão indiscreta e deselegantes podem ser; parece que não conseguem SE ouvir, saem por aí dizendo as coisas e acham normal.

    Anormal é ela falar isso assim sem nenhuma intimidade e liberdade! Vamocombiná!!!

    Uma vez recebi uma moça aqui em casa que contratei para passar roupas, e assim que ela chegou aqui minha sogra (querendo ser simpática) disse: 'Nossa, você tá gordinha hein'...

    Caraca!!!!!!!!! Eu não sabia onde enfiar a minha cabeça!!! kkkkkk

    Tá vendo? Sempre tem alguém ao nosso redor sendo inconvenientes.

    Outra coisa, esse lance de 'tem que' eu odeio e também fico extremamente irritada! Aliás, para eu me irritar não precisa de muito! kkk

    Pavio looooooooongo! rs

    Um beijo querida, adorei este post e obrigada por me mencionar! :)

    ResponderExcluir
  2. Ana, achei bacana colocar o link desta postagem lá no meu blog na minha postagem "Vocês ainda não têm filhos?". Assim, sempre que alguém ler aquela postagem, poderá ler este aqui também que ficou muito bom!!!!!!!

    http://flaviashiroma.blogspot.com/2010/08/voces-ainda-nao-tem-filhos.html

    Bjs

    ResponderExcluir
  3. Eu estou aqui relembrando minha noite de ontem no casamento que fui. Como já estou muito acostumada com a perguntas cada vez que vou a uma festa já vou logo com uma frase na ponta da língua e aproveito para aloprar. A de ontem foi:

    - Não, não queremos filho, porque nos completamos tanto, tanto, tanto, que não precisamos gerar uma vida para complementar a relação. Nossa relação é tão perfeita e maravilhosa que é completa. Você entende? Acho que não né... Sabe porque não sou boba? Tenho um homem por inteiro cuidando e me mimando, vou colocar um pedacinho dele no mundo para perder toda essa atenção e ainda ter trabalho? Sou moderna e inteligente! Enquanto vocês correm atrás de filho, eu tenho um homem correndo atrás de mim.

    Algumas pessoas me olhavam chocadas. Uma em espcial até saiu de perto de mim.

    Desculpe, mas vai se catar! Ai fica aquela mulher fazendo cara de família feliz, se obrigando a parecer feliz com os filhos. Tá bom.

    Lá pelo meio da noite com todo munda já regado a vinho algumas disseram:

    Você é que está certa, filho é bom, mas limitam demais e até acabam com casamento.

    Eu vou seguindo minha vida do jeito que me faz feliz e pago o preço por isso. É aquele negócio filho não dá para desistir.

    No final eu acabo é me diverttindo muito com o a cara de espanto das pessoas! Divirta-se, invente histórias e vá rindo desse povo que vê o mundo quadrado.

    Beijos

    ResponderExcluir
  4. A ditadura do "tem que" ...
    Esse paradoxo me afastou de varias atividades pessois e profissionais.
    No ultimo "vc tem que" que eu ouvi eu disse ... perfeito mas "vc tem que" pagar as minhas contas (todas) pra dai dizer o que eu tenho que fazer.

    Beijos

    Rosinei

    ResponderExcluir
  5. Realmente Ana,há pessoas que não tem o mínimo semancol,e fica nesse lance de "tem que" vestir isso","tem que vestir aquilo"...ter filhos é bom,mas não é só abastecer de Leite ninho e fraldas.Tá tudo zuado no mundo e prá colocar uma vida no mundo atual,tem que se pensar muito.Tenho 39 anos e não sou pai.Adoro crianças,mas não me vejo neste papel paterno.
    Resumindo:Seja você e mantenha suas opiniões,respeitando a dos outros.E isso vc mostrou fazer bem.

    ResponderExcluir
  6. Poxa realmente essa sua amiga não teve nehhum pouco de semancol,com esse lance de "tem que...".
    mas vc soube mostrar sua opinião mostrando senso,coisa que ela não teve.
    Dane-se a opinião dos outros.Vc tem a sua e isso que realmente importa!!!!
    PS: a expressão "semancol" tb não é tão muderna assim,kkkk..ah! leia meu blog hein!!!!

    ResponderExcluir
  7. Olá, vim aqui te agradecer o carinho para comigo lá no blog da Verônica... boa sorte no sorteio viu! Beijocas

    ResponderExcluir
  8. Ana, acabei de chegar em casa e na caixinha do correio, uma alegria...Adorei.Obrigado de todo coração! És mesmo um amor.Fiquei feliz e confortada... beijos,obrigadão meeeeeeeesmo,chica

    ResponderExcluir

 
Blog da Ana Santos Blog Design by Ipietoon