Deixei de acreditar nas pessoas


Ao som de O mundoé um moinho, Beth Carvalho

E eu que sempre acreditei no ser humano, ando tão enojada dele. Tão cansada dos rótulos, das expectativas, das relações. É um exercício diário, mas que envolve muito mais que determinação e paciência, exige que o outro também queira criar vínculos. Nos tornamos eremitas sentimentais, vivendo sem laços, sem emoções. Dividimos espaços e horários, mas não compartilhamos a vida. Cansei!
Acredito nas relações estabelecidas por amor e com confiança. Abomino as relações covardes, interesseiras e vazias. Estou cansada dos meteoros que surgem em minha vida. Amizades meteóricas, efusivas demais, pessoas que amam demais, que são demais em tudo. O equilíbrio precisa ser valorizado. Amizades (e amores, por que não falar deles também?) são construídas com o tempo, exigindo dedicação dos dois. Encontramos desculpa em nossas vidas corridas para não dedicar atenção necessária aos nossos relacionamentos.
Amizade é via de mão dupla e para que sobreviva ao mundo cão, é preciso que todos os envolvidos queiram mantê-la. Seja pessoalmente ou escolhendo uma das 50 maneiras diferentes de se “conectar” a alguém. Se a pessoa não encontra nenhuma que lhe agrade, é porque ela realmente não quer manter contato.
Tenho um amigo de infância que mora em outro estado e mantemos contato até hoje. Amigos que estão em minha vida há muitos anos, mais de 10 anos. Por quê? Porque nos dedicamos em manter vínculos, nem que seja através de um SMS. Aproveitei um tempo que tive outro dia para visitar uma amiga que está grávida. Final de tarde e fui lá bater papo. Minha madrinha encontra sempre um jeito de se manter presente, seja através das redes sociais ou um almoço inesperado no meio da semana. Pessoas que não vejo há séculos, mas são tão presentes que às vezes esqueço que moram em outro país. Continuo acreditando em relações assim, em relações que tempo e distancia não separam, não determinam limites ou impedimentos. Cansei dos humanos que não se dedicam a conhecer e aprofundar conhecimento sobre o outro, que dividem a mesa do café, mas não sabem a cor dos olhos de quem sentou a sua frente. Cansei do ser humano que não aceita crítica, que não perdoa nem sente compaixão. Cansei daquele tipo de gente que não sabe criar laços e também não está interessado em aprender. Conviver com pessoas assim é inevitável, mas ser atingida por elas, ah, isso não mais!

13 comentários:

  1. É bom quando chegamos no ponto de saber peneirar bem o que queremos pra nós,não? beijos,chica

    ResponderExcluir
  2. Posso dizer com todas as letras, existem amigos que são mais chegados do que um irmão.

    Você por inúmeras e incontáveis vezes esteve comigo quando precisei ouvir uma palavra ou mesmo tomar um puxão de orelha.

    Mesmo estando em outro Estado, é como você disse, até me esqueço disso, tanto que outro dia eu estava puta da vida com uma ligação para o Rio de Janeiro que apareceu na minha conta, fiquei loka, queria saber quem é que tinha ligado pra lá, quando fui ver o telefone....docê....rsrsrs

    Miguirmã, você sabe de coisas sobre a minha vida que sequer minha irmã sabe e jamais saberá, se é que você me entende e eu sei que entende.

    Espero chegar à minha velhice tendo você como amiga...

    Beijos e mais beijos nocê.

    Vivi (citada no texto acima) que meigolindo.

    ResponderExcluir
  3. Lindo o texto!!! Amei!!
    Tem mais: o não querer criar laços, é uma fuga para aqueles que são covardes. Como dizia o lindo "Poetinha" Vinícius de Moraes, "por medo de sofrer, sofrerão de qualquer maneira". Eu prefiro a dor de ter feito, do que a incerteza de não ter tentado. esta incerteza se torna maior, or não conseguir mensurar o estrago. Ou talvés não fizesse estrago, ou estragaria pouco, quem sabe, pouco se sentiria... só vivendo, só amando, só conhecendo, só experimentando...
    O mundo é dos ousados e somente eles verão à Deus!!!
    Meu nome é ousadia e o seu também!!!
    Tem um estudo de psicologia, que trata de profissionais invisíveis, ou seja, aqueles que as pessoas ignoram, como por exemplo, os garis. É fantástico ler à respeito. Muitas vezes tornamos o outro invisível. Quando entramos no ônibus e não cumprimentamos o trocador e motorista com um sorriso, bom dia (ou tarde ou noite) um muito obrifgado ao saltar, quando entramos no elevador do prédio onde trabalhamos ou moramos e continuamos inertes e imersos no nosso "EU", crendo que o mundo gira em torno no nosso umbigo... quando passamos pela rua e não cumprimentamos, ou sorrimos simplesmente pelo semelhante transeunte.
    Quando muitos chegam numa cidade pequena, onde as pessoas SE OLHAM, ficam abismados com os cumprimentos peculiares ("tarde", "noite", "dia", afinal, não conseguimos entnder o Bom que antecede essas palavras).
    Estamos deseduacados a ouvir, a olhar, a sentir, a tocar...
    Eu, assim como você, me policio para ser diferente. Cumprimento SEMPRE, mesmo que não obtenha de volta. Eu sou diferente e isso é o que me importa.
    Outro dia, entrei no Banco do Brasil e dei "boa tarde" aos funcionários que estavam fazendo a distribuição de senhas. Para minha surpresa, um olhou para o outro, sorriu e respondeu: "Até que enfim! Alguém olhou e enxergou a gente! Boa tarde prá você também!!!". E olha que eram rapazes bonitos e bem arrumados...
    O desprezo enfim, é um "fenômeno" que não escolhe classe social. Ele e próprio de alguns que se julgam Humanos!!
    Beijos de quem te ama e não te esquece, JAMAIS!!!

    Sua Madrinha,
    Cássia Bello

    ResponderExcluir
  4. Uma grande verdade o seu texto. Hoje as pessoas optam por manter relacionamentos rasos, sem compromisso e altamente evasivos, do tipo fast food. Como disse sua madrinha, isso é sinônimo de covardia, isto é, quanto mais superficial, menor a chance de me machucar. Mas estas mesmas pessoas se esquecem de que o próprio Deus, sabendo como somos, sente prazer em se relacionar conosco, inclusive com os covardes.

    ResponderExcluir
  5. Infelizmente é impossível prever quando podemos nos magoar ou não. A dor
    vem como um tiro do lugar menos imaginado, as vezes da pessoa mais
    confiável e temos que aceitar porque todos falhamos, inevitavelmente um
    dia seremos nós a decepcionar alguém. Alguém que irá deixar o outro na
    mão. O outro lado da moeda, humanos tem dessas coisas.

    ResponderExcluir
  6. Olá querida... Gostei muito de tudo que você escreveu... e na verdade a carapuça (como será que escreve isto?) serviu... acho que tenho sido negligente nos meus relacionamentos... tenho me escondido na falta de tempo! Obrigado pelo alerta!!!
    BEijos!!!

    ResponderExcluir
  7. Sempre fui uma pessoa que se apegava demais às pessoas muito rápido. Até que de uns anos pra cá levei tanta rasteira que comecei a criar barreiras em mim. Por um lado é terrível, porquê posso acabar perdendo pessoas maravilhosas na minha vida. Por outro, é bom porquê não tenho sofrido tanto. Agora morando longe, consegui definir bem meus amigos, pra te ser muito sincera, acho que a "amizade", aquela verdadeira, sincera, sem um pingo de mentira e inveja ainda não consegui alcançar. Tenho sim pessoas que gosto muito, mas que nem sempre serão àquelas que posso abrir meu coração e me apoiar em todas as horas. Um amigo desse eu não encontrei entre os homens, mas sei que tem um Alguém que está ao meu lado e me escuta. To aprendendo a escutá-lo mais e a seguir o que o Pai dEle sempre me fala pra eu fazer, mas às vezes é tão difícil abrir mão de mim mesma. O nome dele é Jesus e tem sido o Único em que posso confiar e abrir meu coração. Aprendi a conviver com as mentiras, fofocas, invejas e falsidades, porquê isso pra mim se tornou comum à todos os seres humanos, sinceramente. Beijos e parabéns pelo texto!

    ResponderExcluir
  8. Com todas as letras vc disse semplismente tudo, tenho uma amiga que muito, muito mais que a minha própria irmã de sangue que dorme e acorda todos os dias comigo. "Bela amo voçê hoje e sempre...." para Izabela Borcard..votando ao assunto e cortando a melação, efim...amigo é uma pérola preciosa...bjsmeliguem

    ResponderExcluir
  9. Parabéns pelo texto. A gente possui o livre arbítrio para a nossa vida, para nossas amizades. Saber diferenciar quem nos faz crescer e quem só quer ver a nossa derrota. Temos que alimentar e cercar de pessoas positivas, alegres de luz. Amizade é uma via de mão dupla e com alguém que nos faça sorrir é melhor ainda.
    Big Beijos

    ResponderExcluir
  10. Olá,Ana!Passando prá conhecer de pertinho as participantes do meu sorteio...Lindo texto!
    Bjs,Ana.

    ResponderExcluir
  11. gostei muito do texto amor

    ResponderExcluir

 
Blog da Ana Santos Blog Design by Ipietoon