sábado, 5 de fevereiro de 2011

Sobre perfumes, mentiras e tramas sentimentais

Tive que encarar a versão gonçalense do deserto do Saara e fui à Alcântara. Não costumo ter problemas em sair de casa nos meus dias de folga, mas enfrentar o calor de quase 40ºC à sombra não me inspira muito. Fui porque precisava ir. Andando pelas ruas movimentadas e tomadas por camelôs, encontrei uma banca vendendo perfumes com a placa “original” em cima. Olho outra vez e vejo uma imagem bem familiar: meu perfume, meu cheiro (sim, aquele que escolhi para ser meu para o resto da vida, rs*), sendo vendido a R$ 15,00. Como assim? O Leau par, da Kenzo, custa em média R$149,00 e de repente vê-lo a preço de desodorante Axe foi estranho (por isso que escolhi outro perfume mais ''acessível'' para o dia a dia). É óbvio que se trata de uma versão pirata genérica do perfume, assim como todas as outras da banca. Não vou discutir pirataria, não é esta a minha intenção, mas quem compra produto falsificado não reclama, sabe que não é original e ponto final. Se alguém vai até uma importadora e paga muito caro por um perfume, espera que este seja original, ao contrário de quem compra por R$15,00 no camelô. As pessoas não se importam se algo é falso, desde que não haja mentira. É assim com tudo: perfumes, tênis, roupas de grife, relacionamentos.
Lembro-me de um filme com Al Paccino, em que ele cria uma atriz digital, mas não diz ao público que ela não é real, e surpreendentemente faz um sucesso estrondoso. Todos queriam conhecê-la, mas depois de tanto sucesso, não poderia simplesmente revelar a verdade, poderiam matá-lo. Tanto no filme, quanto na compra/venda de produtos genéricos (que não são de marca, rs*), a questão é exatamente a mesma de quando somos envolvidos em alguma trama emocional. Se no primeiro contato já é estabelecido o que é verdadeiro ou não, ninguém vai chorar depois, afinal de contas, ninguém vendeu sentimento falsificado em lugar de um verdadeiro. Nós sofremos pela expectativa criada e não cumprida.
Não estou defendendo relacionamentos superficiais, romances instantâneos como em reality shows, mas sim a integridade e a sinceridade nas relações humanas. Ninguém precisa jurar amor eterno quando na verdade quer curtição. As pessoas são livres para fazer suas escolhas e viver de acordo com elas, mas não tem direito de magoar as outras por conta disso. Quando dizemos a verdade sobre nossas reais intenções, ninguém sai perdendo, ninguém sofre. Ainda não criaram PROCON-sentimental, o que deve existir sempre é responsabilidade e honestidade com os outros.
Quer vender perfume barato com cara de importado? Nada contra, é só não mentir que em algum momento aparecerá alguém pra comprar!

6 comentários:

  1. Ana querida, bom dia. Fiquei muito feliz com sua visitinha e comentário no meu blog. Que bom que o Espirito Santo te guiou até aquelas palavras que acalmararam e resposderam teu clamor.

    Muito bonito e inteligente teu espaço. Vou te a seguir também.

    Um bjim no teu coração. Fica na paz.

    Pra. Thaís Itaborahy

    www.palavradevidaaocoracao.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Está tudo tão lindo por aqui! Parabéns, Ana!!

    Amei essa reflexão! Pura e verdadeira... a minha esperança é que as pessoas procurem sempre a sinceridade, a integridade e o que é verdadeiro, mesmo que sejam apenas perfumes!

    Amo vc!

    BEijos
    Liz

    ResponderExcluir
  3. Infelizmente tem gente que encontra a felicidade na mentira... Mas eu sou daquelas que acredito que tudo que vai, volta, ação/reação... Enfim, faço minha parte e espero um dia encontrar alguém que também faça a dela para permanecer ao meu lado. Bjs. Amei o texto!

    ResponderExcluir
  4. Olá, Aninha! Adorei o novo layout do Blog e os últimos textos são profundos e impactantes. Esse texto do perfume veio na medida certa, realista e muito contundente, expressa exatamente como devem ser as relações humanas. A integridade, o caráter e sinceridade são virtudes que devem acompanhar todos os seres humanos. Infelizmente muitos vivem "o falso" como se fosse o "verdadeiro" e isso é ruim. Temos que viver realmente aquilo que somos como pessoas e não vender uma imagem "falsa" numa embalagem que não tem conteúdo legítimo. Ou seja, não podemos viver de aparências! Nossas atitudes devem refletir quem realmente somos, sem máscara e engano.
    Beijos e tenha um ótimo fim de semana!

    ResponderExcluir
  5. Olá, Aninha!! Gostei muito do texto "Sobre perfumes, mentiras e tramas sentimentais". Nos tempos atuais, vemos que muitos não ligam por comprar um perfume "falso", sendo réplica do original, assim como também, há pessoas que querem ter uma amizade superficial,supérflua e de aparências.Vivemos numa sociedade Pós-Moderna em que muita coisa que é produzida, que não foi feita de forma como é aparente ou como é mostrada em seu rótulo. Assim também pode acontecer com os nossos relacionamentos. Mais vale apena manter nossos valores, principalmente a sinceridade, a honestidade, a integridade e a verdade. Parabéns pelos textos, pela Fanpage e pelo lay out do blog. Tudo está perfeito! Beijos!

    ResponderExcluir
  6. Muito legal o seu post, eu amo perfumes importados e sempre compro os meus perfumes na loja www.dessence.com.br pois os preços são ótimos. Fica a dica!

    ResponderExcluir