Sobre amar ao Senhor

domingo, 23 de janeiro de 2011




Pouco antes do meu aniversário eu iniciei um questionamento sério a respeito do amor que eu sinto pelo SENHOR. Apesar de enxergá-lo como Pai, como amigo, e não como um carrasco domador de leões, comecei a me questionar se eu O estava servindo por interesses próprios, por amor ou por medo do inferno. Parece algo absurdo, né? Como ousaria não amar a Deus depois de tudo o que aprendi sobre Ele? Pior: como não amá-lO depois de tudo que ELE fez por mim?
Sei que muitos (muitos M-E-S-M-O) que hoje lotam as igrejas e pregam um evangelho tão barato quanto uma prostituta na Praça Mauá, precisam de um questionamento como este, desde seja honesto. Mas como já foi dito certa vez, “ser honesto consigo mesmo é algo perigosíssimo” e quem teria coragem de admitir, ainda que seja pra si, que não sabe se ama ou não ao Senhor?

Entender o amor, aquele que vem dEle e volta pra Ele, aquele que sentimos por quem É o amor, não é simples. Seria mais fácil admitir que sinto medo de passar a eternidade sofrendo as conseqüências de não ter nutrido tal sentimento. Na última sexta-feira, li a seguinte num texto em que o autor também se questiona sobre o assunto: “... Talvez essa seja justamente minha estranha forma de amar a Deus: tateando na escuridão, procurando sinais de rosto oculto na tela confusa do cotidiano. Talvez isso seja amar...” (Alan Brizotti, para o Genizah)

Cheguei à conclusão que posso não descrever exatamente o que sinto, mas sei que é o que reconheço como mais próximo do amor, do amor completamente realista e sem interesse, enxergo minha total dependência dEle. É isso que me faz desejar obedecê-lO, ainda que me sinta contrariada, ainda que não entenda Seus planos para minha vida, e principalmente: ainda que não mereça Seu amor.
_____________________________________________
Fotografia de Antonio Ysursa
Ao som de uma canção que vale a pena:
Anthony Evans, "The way that you love me"

3 comentários:

  1. Que linda a sua conclusão...

    Acho que todos devíamos fazer este tipo de questionamento de vez em quando...

    :)

    ResponderExcluir
  2. linda reflexão, se todos nós parassemos para refletir sobre isso... muito legal mesmo ana... e alías belo layout está de parabéns...

    Ass: Susana Terto

    ResponderExcluir
  3. Infelizmente tem pessoas que O amam da boca pra fora, de fachada... Talvez por ainda não ter sido tocado pelo Espírito Santo, não entende a exatidão desse amor. E além disso, com o amor, vem a obediência, abrir mão do que se quer fazer pelo que Deus tem pra você... Essa é uma questão muito delicada, mas interessante de se argumentar, pois faz com que gere um questionamento dentro de nós: será que eu verdadeiramente amo ao Senhor como Ele me ama? Bjs. Gostei do Layout novo...

    ResponderExcluir

 
FREE BLOGGER TEMPLATE BY DESIGNER BLOGS