Sem manuais

“E o amor é sempre complicado. Mas, mesmo assim, os seres humanos precisam tentar se amar, querida. A gente precisa ter o coração partido algumas vezes. Isso é um bom sinal, ter o coração partido. Quer dizer que a gente tentou alguma coisa.”
Do livro Comer, rezar e amar

Sabe aquele clima londrino que está ali fora? Pois é, não está só lá fora, aqui no meu universo interno também está cada vez mais nublado. Fiquei pensando e repensando em uma coisa que me disseram hoje: “não dá pra te entender, num dia você quer conversar horas seguidas comigo, no outro você não quer me ver.” Mas quem disse que é para me entender? Quem disse que eu recebi um manual de instruções junto com a certidão de nascimento? O amor que eu sinto e o amor que sentem por mim é maior que qualquer explicação ou regras de sintaxe. Quero espaço, voar, entender o que se passou e saber o que restou aqui. Quero palavras doces ao telefone e um aconchego antes de dormir. Quero testar sua paciência e adquirir a minha. Quero de volta as brigas por ciúme e o jeito carinhoso de me desejar bom dia. Quero tudo isso, mas também quero tempo. Tempo para voltar a acreditar, confiar, tirar as reservas e os limites. Tempo para me fazer clara, entendida sem que precise me decifrar.

2 comentários:

  1. Amei esse post!!!! Passo por vários momentos assim! rs

    ResponderExcluir
  2. Hoje vejo q eventualmente ter um coração partido nos faz mais forte para voltar e tentar junta-lo novamente.
    Aninha, vc é essa coca-cola toda!!!

    ResponderExcluir

 
Blog da Ana Santos Blog Design by Ipietoon