sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

O tempo que não temos

"O vento toca o meu rosto me lembrando que o tempo vai com ele, levando em suas asas os meus dias, desta vida passageira, minhas certezas, meus conceitos, minhas virtudes, meus defeitos nada pode detê-lo..."


Odeio dizer que ando sem tempo. Todo mundo usa essa desculpa para tudo, já reparam? As pessoas dizem que o tempo é a coisa mais cara hoje em dia etc. etc. Sabe o que é pior? É tudo uma grande verdade. Eu sofro muito desse mal do século 21. Só que por não ter um cargo executivo ou voar de helicóptero para chegar ao trabalho (seria um máximo, ir de São Gonçalo a Bangu em alguns minutos), as pessoas não me veem fazendo grandes reclamações - apenas pedidos de desculpas, um aqui, outro ali, e agora mais um: por minhas ausências. Semanas MUITO movimentadas. Mesmo. De verdade. Tanto que não estou conseguindo acompanhar o ritmo das coisas. Tento acompanhar, mas ando tão cansada que às vezes, me perco. Estou em contagem regressiva para as férias (28 dias até elas...). Ainda não decidi se irei pra Curitiba ou Vitória, mas quero pôr o pé na estrada. Preciso de um tempinho só para mim. Tem tanta coisa acontecendo. Coisas boas. Coisas não tão boas. Preciso de um tempo para equacionar o que aconteceu em 2010 e não quero repetir no ano que se aproxima. Principalmente: quero um tempo para dedicar as pessoas que estão sempre prontas a me apoiar. Quero repensar alguns sonhos (impossíveis, talvez), e transformá-los em realidade. Preciso sair do campo "imaginário" e partir para ação.
Que loucura falar sobre o tempo que não tenho e quero ter, e sobre o que fazer para ocupar o que já não existe ... 

Um comentário:

  1. É bem assim mesmo ,esse danado do tempo. Desejo que consigas fazer o que queres, viajar, passear, ser feliz! beijos,chica

    ResponderExcluir