sábado, 6 de novembro de 2010

Vivendo sem ilusões


 Ao som de As time goes by

Andei pensando e cheguei à conclusão que você não tem direito de me fazer sentir pequena e insignificante, na verdade, nem sei quando foi que se achou no direito de me magoar da forma que fez. Você destruiu meus sonhos, tirou de mim a vontade de viver e deixou no lugar uma dor que não há remédio que cure ou porre que me faça esquecer.
Essa foi a última noite que passei em claro chorando pelos planos que não realizamos, pelos lugares que não visitamos, ou pelos filhos que não tivemos juntos. O pior de tudo foi que até hoje, até algumas horas atrás, eu ainda me culpava, tentava entender o que eu fiz de errado, quando na verdade eu apenas acreditei em suas mentiras, no amor que você dizia sentir. Certamente foi um erro ter acreditado tanto, ter sonhado tanto, ter amado tanto.
Durante muito tempo eu o imaginei dizendo que se enganou, que se deu conta que nossa história não terminou e irá ficar ao meu lado para envelhecermos juntos, mas hoje percebo que você nunca quis isso, eu quis muito e acreditei que você também quisesse, quando na verdade eu fui mera distração.
Ainda dói muito e parece inevitável, mas vai passar. A culpa do fracasso desse amor é um número que não me serve, não me não me cabe mais. Daqui pra frente, viverei sem ilusões, não serei mais o que a dor fez de mim, serei mais o mais forte que puder, e esta é minha única opção.

________________________________
Inspirado num diálogo entre Iris (Kate Winslet) e  Miles (Jack Black), no filme "O amor não tira férias".

Um comentário:

  1. Oi Ana, amei seu blog, quero agradecer a participação na troquinha de cartões, só te peço que me mande um e-mail com seu endereço de correspondência...bjinhos!!

    ResponderExcluir