sábado, 2 de outubro de 2010

A falta que faz

Estava abatida, parecia muito cansada, as horas daquela noite demoraram a passar. Desejava que o toque do despertador fosse também a ordem para seu coração deixar de sangrar. Esperava, no chuveiro, cair à água quente para então chorar e esconder as lágrimas de dor e de saudade. Doía à falta que ele fazia, cada dia mais. Doíam os sonhos não realizados, os planos que ficaram para trás, os livros que juntos não leram. Sentia saudades das conversas pelas manhãs, do apóio sempre constante, das piadas bobas e até mesmo do jeito complicado de levar a vida. Em frente ao espelho, tentava disfarçar o inchaço das lágrimas. Entre as muitas camadas de maquiagem, escondia as marcas da mágoa e da dor de ter sido trocada por outra. Repetia, como um mantra, que não o queria mais, que o amor que um dia sentira tinha acabado, mas era apenas mais uma tentativa de acreditar no que estava dizendo. Sabia que ainda o desejava, apesar de todo o sofrimento. A caminho do trabalho, esforçava-se para concentrar-se nas linhas do livro em suas mãos, mas seus olhos fitavam fixamente a foto que marcava a última página lida. Abriu a bolsa, sem pensar muito no que estava fazendo, digitou uma pequena mensagem no celular: "A sua foto é o que me traz um pouco de paz, você não sabe a falta que você me faz." Titubeou em enviar. Sabia que aquelas palavras não fariam com que ele voltasse, mas assim ele teria certeza de que apesar de toda distancia, e após tanto tempo, ela ainda o amava.
_________________________________
Texto para a 37º Edição Musical do Bloínquês

Um comentário:

  1. Da janela do meu quarto vou escrever e falar do meu amor por ti. Estou com saudades e você não vem. O meu amor é imenso e faz com que eu te espere.
    http://sandrarandrade7.blogspot.com/
    Carinhosamente, estamos nesta coletiva.
    sandra

    ResponderExcluir