Dor e loucura

domingo, 15 de agosto de 2010

“Se tudo der certo, eu e você vamos sair ilesos daqui, querido! Logo os Bombeiros irão chegar e retirá-lo do carro. Sairei depois e vou puxar as orelhas daquele motorista imprudente que avançou o sinal. Ora bolas, veja se esta é a noite de revellion que se espera! Tomara que 2010 seja muito melhor que este ano, principalmente a última noite! Nunca entendi ao certo esta história de renovar as esperanças ao ver o relógio mudar, mas confesso que sua irmã me contagiou com essa vibe de ano-novo-vida-nova. Por falar nela, vou procurar o tal livro que me recomendou: “Comer, rezar, amar”, lembra-se? Apesar de bastante clichê, percebi que ela está mais dedicada às crianças depois que leu este livro, você reparou?

Querido, fale comigo, cante, assovie aquela canção irritante de ano novo da Globo, mas não se entregue. Logo o socorro irá chegar e veremos os fogos da varanda da sua mãe. Vamos querido, me fale de como detesta a ceia natureba que sua ela faz e prefere minha lasanha de caixinha. Nuno, você está me assustando quieto deste jeito. Já deve estar perto da meia-noite, os fogos estão começando... Nuno... Nuno...”

Desde que saiu do hospital, onze dias depois do acidente, Dona Heloísa começou a definhar. Estava tão debilitada que não compareceu ao funeral do marido e isso a impediu de dizer adeus definitivamente. Deixou o trabalho, descuidou da aparência e vive trancada em seu quarto. Seus pais tentam convencê-la a morar novamente com eles e resgatar a sanidade há muito está esquecida, mas é em vão. As noites são sempre iguais e confesso que dói imensamente ouvi-la repetir seu último diálogo com Sr. Nuno. É sempre desesperador quando grita o nome dele... Hoje, ao observá-la pela janela, notei como está diferente de quando a conheci, nem de longe parecia a mulher cheia de vida que veio morar no apartamento ao lado ... Maldito motorista bêbado que arrancou Sr. Nuno dela, maldita loucura que se instalou nesta casa, maldita dor que não deixa este lugar!

[Texto de participação nas edições de Oapss e In verbis]

4 comentários:

  1. Linda tua participação, gostei...beijos, boa sorte!linda semana, chica

    ResponderExcluir
  2. Parabéns pelo participação. Interação de amigos tbém esta participando.
    Que bom se as pessoas cometessem suas loucuras somente pelo amor e nunca pela dor...
    As loucuras mexem com íntimo das pessoas. Acabam comentendo atosa sem pensar...
    http://sandrarandrade7.blogspot.com/
    Carinhosamente
    sandra

    ResponderExcluir
  3. Adorei seu texto. Despedidas e perdas podem causar danos irreparáveis. Embora digam que ninguém é insubstituível, apartir do momento que somos amados, nos tornamos únicos. Quando quem amamos se vai, não podemos continuar os mesmos, pois uma parte nossa não nos pertence mais. Foi essa sensação que seu texto me passou. Parabéns, já estou seguindo seu blog. ^^

    ResponderExcluir
  4. eu fiz separados..
    Amiga,
    Prticipei dois dois momentos vou te esperar na interação para conferir tbém. Muito legal o texto.
    As coletivas não dão a força de expressão e aprendizagem. Bem como conhecer novos amigos.
    sandra
    http://sandrarandrade7.blogspot.com
    Vou te esperar com muito carinho.

    ResponderExcluir

 
FREE BLOGGER TEMPLATE BY DESIGNER BLOGS