quinta-feira, 13 de maio de 2010

Bons ventos sempre chegam


E depois de Nadine e Luca me surpreenderem pela verdade de seus sentimentos, eis que descubro uma linda e apaixonante história se escrevendo por aqui.
Sabe aquela máxima de "nunca mais vou amar ninguém!" quando estamos magoados? Pois ela disse isso. Disse até algumas outras coisas mais duras sobre si mesma, mas sabe Deus o motivo, resolveu brincar de conhecer gente pela internet. 
E como diria Guimarães Rosa que "felicidade só em raros momentos de distração...", ela se distraiu e encontrou a felicidade com os pés fincados em solo capixaba. Digo, em mar, capixaba. Longas conversas ao telefone, muitos e-mails e sentimentos que fazem bem, pensamentos que são melhores ainda. Tudo é tão novo, tão diferente, tão maduro, tão correto que chega a assustar. Mas por que será que ser feliz assusta?
Por que se estranhar com uma ligação às 11h da manhã só pra ouvir sua voz? Heeeellloooo, Lucy, eu sei o quanto você sofreu por conta de um imperador romano metido a besta, e agora fica nessa de "é bom demais pra ser verdade"? Fala sério. Aliás, não fale tão sério. Sorria mais, brinque mais, curta mais, se apaixone mais, viva essa história com todos os "mais" que puder.

3 comentários:

  1. Uia ... vc e seus textos sempre tão claros que nos remetem a uma realidade tão sonhada, quisera eu, poder viver esta grande paixão, assim, com toda esta intensidade e, acima de tudo, muito despenteada ...
    Super beijo.

    ResponderExcluir
  2. Amei, viver, voar, sonhar de olhos fechados ou não.
    A vida é mais que um bom penteado é sorrir como os descabelados.
    Mil beijos
    Aninha

    ResponderExcluir
  3. Então vivamos, amigas!
    Vivamos despenteadas!!!

    ResponderExcluir