quinta-feira, 4 de março de 2010

Sobre a imprevisibilidade da vida



Ao som de The Climb, Miley Cyrus

 “Não sei... Se a vida é curta ou longa demais pra nós, mas sei que nada do que vivemos tem sentido, se não tocamos o coração das pessoas. [...] E isso não é coisa de outro mundo, é o que dá sentido à vida. É o que faz com que ela não seja nem curta, nem longa demais, mas que seja intensa, verdadeira, pura... Enquanto durar.”
Cora Coralina

Se eu tivesse que terminar este post aqui, tenho certeza que teria transmitido algo de positivo, mas fiquei pensando que não são apenas estas palavras, mas tudo o que elas podem representar que me importa.
Hoje, diante de um e-mail que recebi, fiquei pensando em como as nossas palavras chegam até as pessoas. Como um “bom dia” (e nada mais) faz diferença para alguém [e como o não dizer nada também pode dizer muita coisa!].

Será que olhamos nos olhos dos outros enquanto falamos? Estamos dedicando cinco minutos do nosso tempo, para ouvir aquela pessoa que está se sentindo sozinha? O que realmente estamos fazendo para cultivar/preservar as nossas relações?

Tenho notado ao longo dos anos que a sociedade nos impulsiona a limitar nossas amizades ao “networking”. Não existe a preocupação em fortalecer laços, e sim manter relacionamentos corriqueiros, exclusivamente com interesses profissionais. “Vou sair para almoçar com fulano, pois sei que ele é influente com o diretor da empresa e pode acelerar minha promoção.” Ou então “não simpatizo com a beltraninha, mas ela conhece alguém que pode me arrumar um emprego na Tal S/A.”

E as amizades verdadeiras? O interesse apenas no bem-estar, será que ainda existe? A cada ano que passa a expectativa de vida aumenta um pouco mais, porém, estamos vivendo cada vez mais solitários. As histórias de vida não chegam a ser histórias, são no máximo um comercial de 30 segundos (sem graça, e que passa na TV de madrugada). Não nos dedicamos em conhecer e ser conhecidos. Preferimos enxergar a função no crachá ao valor que existe em cada indivíduo.

Outro dia estava conversando sobre a imprevisibilidade da vida. Se de repente eu partir, as pessoas a minha volta saberão o quanto elas foram importantes para mim? Bem, trato diariamente para que saibam. E não digo apenas “o pacote família”, me refiro a TODAS Não importa se estou diariamente ou não com a pessoa; se trabalho com ela há três meses ou há três anos; simplesmente não me importam as convenções, todos aqueles a quem devoto (ou devotei) carinho, faço questão que saibam que são especiais para mim! Nem que seja através do meu e-mail de “bom dia”, de um telefonema, de uma bronca, ou da forma que eu encontrar para demonstrar afeto! Faço questão de tocar o coração das pessoas, porque longa ou curta, a vida vai durar enquanto eu respirar!

7 comentários:

  1. Aninha minha querida, amei o texto. Olha que você leva jeito, menina! Continue escrevendo... O seu texto revela que você é uma pessoa sensível e especial. Bonita por fora e por dentro.

    Atualmente temos visto o esfriamento e distanciamento dos relacionamentos. Ninguém quer “gastar” tempo com o outro, principalmente se esse outro não tem nada a oferecer. Os crentes estão sendo influenciados pela nossa cultura, faltam discernimento e sensibilidade de saber que as “pessoas são mais importantes que as coisas”. O que temos visto é a inveja, a cobiça, o prazer em maltratar as pessoas (sadismo), falta de gentileza.... A lista é grande, é melhora parar por aqui. Mas quando encontramos pessoas como você, percebemos que nem tudo está perdido. Ainda há uma esperança! Aleluia! Continue sempre assim!

    Bjs.

    Telma Bueno

    ResponderExcluir
  2. Tenha Certeza... Voce Tocou e TOCA a minha VIDA...

    Fernando...

    ResponderExcluir
  3. Telma,

    O que você me escreveu me emociou muito! Obrigada por seu carinho, seu apoio... é muito bom estar ao seu lado diarimente!

    Fernando,

    Depois de 10 anos de amizade, se eu não tivesse tocado seu coração ao menos uma vez, tudo o que acredito (e escrevo) seria inútil.
    Sua amizade sempre foi muito importante pra mim!

    Obrigada por tudo!

    ResponderExcluir
  4. vc sempre consegue nos tocar meu amor,com tanto amor e sinceridade,e suas palavras bem pensadas e sincronizadas consegue dar ao meu dia e ao dia de quem esta a sua volta mais alegria e disposiçao pra terminar essa jornada chamada vida. te amo minha maninha....beijos

    ResponderExcluir
  5. Ana, que texto ma-ra-vi-lho-so!
    Bela cronista vc heim?!
    Minha linda, desejo que sua alma seja alimentada todos os dias com inspiração celestial, desenhando as letras e nos transmitindo a beleza que o Pai colocou aí dentro do seu coração.

    Gde bju

    Ana Paula Nogueira

    ResponderExcluir
  6. Aninha, suas palavras refletem uma triste realidade do mundo moderno, onde cada vez mais ganha espaço, pessoas que não toleramos mas que podem nos alavancar no âmbito profissional. Tempos onde as amizades virtuais estão tirando o espaço das amizades reais. Viva o retrógrado, onde amizades verdadeiras consitem em abraçar, tocar, brigar, fazer as pazes... #Eusoudasantigas

    ResponderExcluir