sexta-feira, 19 de março de 2010

Amor, Contos de fadas e casamento

Amor

Escrevi o “Quimeras de Luisa” quando eu tinha 13 anos e nenhuma idéia do que é o amor. Naquela época eu estava mais para Romeu e Julieta do que Richard Blane e Ilsa Laszlo (#). A verdade é que 13 anos atrás eu imaginava que o amor era algo muito diferente do que eu conheço hoje. Amor era poesia, romantismo, suspiros e a certeza de felicidade eterna. Hoje amor é a certeza de continuar acreditando. É cuidado com o outro, respeito, amizade, companheirismo, aceitação, simplicidade. Ou como eu disse hoje para uma amiga “vejo o amor quando passo mal uma noite inteira e tenho alguém segurando a minha mão, cuidando de mim” enquanto aos 13 anos eu achava que era o “felizes para sempre” (daqui a pouco vou repetir essa expressão).

Conto de fadas

Existe? Só para quem acredita. Ao contrário do amor (que pode acontecer para todo mundo), eu não acredito nos contos de fadas, mas quem acredita, acaba vivendo. Tenho um amigo que jura viver um conto assim desde 2005. Loucura? Ele é feliz, ela também. Vivem um relacionamento sério, de respeito, aceitação e, quem sou eu pra bater nas costas dele e dizer que ele está enganado? (Sou uma monstra pois já fiz isso, rs*) Eu não ouso dizer que o que eles tem é exceção, de repente existem outras pessoas que também  conseguem viver desta forma, mas a verdade é que eu vivo a realidade, e cá pra nós, ela não se parece com um conto de fadas. Não tenho fada madrinha que me proporciona um banho de loja quando estou pra baixo, meus móveis não dançam e muito menos bichinhos invadem minha janela para me acordar. Definitivamente eu não consigo ver a vida em cor de rosa! Meu castelo tem aluguel que vence todo dia 05, conta de luz absurdamente alta e pilhas de roupas para passar.

Casamento

Sábado, 20 de março de 2010. Casamento de Nadja e Daniel. Abaixo o texto que escrevi para os dois (que esta no programa do casamento):

‘E viveram felizes para sempre'.A maioria dos livros infantis nos dá a idéia de que o casamento se resume a esta frase, mas a verdade está bem distante disso. Escolhemos nos casar mesmo sabendo que a pessoa que está ao nosso lado não é nenhum príncipe ou princesa, e o 'felizes para sempre' depende só de nós dois porque a vida real é cheia de dificuldades e barreiras que decidimos encarar juntos!Nos casamos pois sabemos que a vida a dois nos proporciona uma visão da caminhada melhor do que estando sozinhos. Precisamos de testemunhas para nossas vidas, de uma pessoa que enxergue além de nossos defeitos, além de nossas limitações. Precisamos de uma pessoa que desperte em nós o que há de melhor, aquilo que ficou escondido, que ninguém antes conseguiu enxergar. Casamento é saber que nem todos os dias serão os mais fáceis, nem os mais belos, mas ainda assim estaremos de mãos dadas para encarar as tempestades; é entender que os dias se tornam mais leves se temos a companhia de quem amamos, e por isso lutamos para fazê-la feliz!Hoje, no dia do nosso casamento, você que veio celebrar conosco esse dia tão maravilhoso, tenha certeza que não estamos chegando ao altar com a ilusão de sermos perfeitos um para o outro, nem sermos duas metades que se encaixam – não! Enxergamos claramente o que somos: duas pessoas que se amam, compreendem, entendem as limitações e defeitos um do outro e ainda assim escolheram ficar juntos para sempre, sabendo que a felicidade não é o fim, o ‘the end’’ e sim o caminho que escolhemos até que ele venha!


Apesar do texto ser para o casamento deles, ele é exatamente o que penso e acredito. Então quando ler algum post do “Quimeras de Luisa”, leve em consideração que eu tinha apenas 13 e nenhuma experiência de vida, e principalmente no amor!                                                                                                         


# Personagens protagonistas de Casablanca (1942). Filme que, em minha opinião, retrata o amor abnegado de um homem por uma mulher (e o meu favorito!). 

Nenhum comentário:

Postar um comentário