sexta-feira, 19 de março de 2010

Bem vinda, nova idade!

Nossos caminhos se cruzaram por um motivo que eu ainda desconheço, assim como o motivo que fez com você me notasse em meio a tantos rostos parecidos.
As conversas fluíam naturalmente, o tempo passava e a vida seguia. Em meio a esta jornada, muitas pessoas fizeram parte dela. Com alguma delas vieram as mentiras, desculpas, brigas e afastamento. Mas qual afastamento, se sequer nos víamos? Mesmo distantes fisicamente éramos a companhia predileta no fim de um dia cansativo. Nem sempre os ouvidos estavam dispostos (ou a disposição), mas adorava ouvir sua voz me chamando de “menina”.
            Tanto tempo se passou desde o primeiro olhar, tantas mudanças, aprendizados, perda, conquistas que, ao olhar para trás fica a certeza que nada, jamais, será igual ao que (não) existiu entre nós – admiração, afeto, desejo, respeito, amizade, cuidado, fantasia, carinho...
Sabe, querendo ou não, fazemos parte da vida um do outro; talvez por sermos tão parecidos (e por isso tantas brigas e sempre pelo mesmo motivo) ou porque de repente, não saberíamos viver sem a admiração que nos aproxima, nos atrai.
A verdade é que mesmo depois de tanto tempo, e de nos enxergar como realmente somos, o olhar continua o mesmo e, por isso Sr. N., eu precisava dar boas vindas a sua nova idade e dizer que o tempo pode continuar passando desta forma, pois mesmo sério e dedicado aos números, ele foi gentil com você!
 Parabéns!


Nenhum comentário:

Postar um comentário