Não estava pronta para me despedir de você



Leia ao som de Home, Gabrielle Aplin

Deveria ter dito antes, mas errei com você. Não onde presumiu, mas onde eu me perdi. Errei ao acreditar, ao confiar, errei ao me prender ao que construímos, principalmente por saber que eram mentiras que nos protegiam. Eu deveria ter confessado onde estavam as verdades e o perdão, mas já tínhamos ido tão longe, tínhamos trocado tantas mágoas, que já não sabia mais como verdadeiramente te tocar. Sinto muito pela decepção, pelas dores e por tanta poeira acumulada entre nós, mas tive medo. Não temi quando você entrou em minha vida de forma avassaladora e única, derrubando minha pressão numa quinta-feira de noite estrelada, mas tive medo quando você saiu dela.
Esteja certo de que tentei fingir indiferença, tentei superá-lo de muitas formas e com alguns porres, mas a verdade é que eu precisava me enfrentar, encarar que, tudo o que não havia dito ainda me prendia a você. É tão difícil estar deste lado do temporal... Fomos muito mais do que calei. Você nunca foi meu, mas eu sempre lhe pertenci. Deixei todos os meus medos de lado para viver dias incríveis com você. Não me arrependo pelas loucuras, mas pelos silêncios que me atormentaram. As palavras que não disse me afligiram por um longo tempo, mas a verdade, essa capacidade translúcida de nos libertar, é que eu não estava pronta para me despedir definitivamente. Já havia perdido o seu toque, o seu olhar e sabia (naquela manhã eu realmente sabia), que perderia também a única coisa que me ligava a você.
Nunca tive a oportunidade de lhe dizer o quanto foi difícil lhe superar e o quanto senti por ter mentido e por não ter mostrado que também conhecia suas inverdades. Depois de tanto tempo, tanto silêncio, finalmente consegui olhar para trás e encarar os esqueletos que enterrei. Tantas histórias ficaram pelo caminho, tanta cumplicidade, tudo que poderia ter sido vivido e não foi, mas hoje não tenho mais espaços para sentimentos abafados e passados suspensos. Preciso ser mais forte, mais sábia, mais corajosa. Estou me recriando e neste processo, não existe mais espaço para mágoas ou dores não enfrentadas.
Você foi minha história mais linda, louca, dolorosa e com mais afinidades que poderia viver, mas estou te deixando - definitivamente - em meu passado. Estou nos perdoando e encerrando este capítulo. Perdoe-me por tudo o que não disse na hora certa, mas é que só agora fui capaz de enfrentar que a esperança que restava se foi.

2 comentários:

 
Blog da Ana Santos Blog Design by Ipietoon