terça-feira, 13 de setembro de 2016

Desassossego






Ao som de R.E.M. Everybody hurts

Os dias andavam mais difíceis do que já haviam sido antes. Lágrimas conhecidas para dores recém apresentadas. O aperto no peito se tornou tão presente quanto suas já tradicionais canecas de café. Percebeu que ainda havia saudade, àquela que já havia sido ridicularizada e tantas vezes camuflada. Precisava da leveza, daquela afinidade que ninguém jamais soube explicar, da gargalhada fácil (e quase extinta). 

Ainda há muito a ser dito. Muito a ser escrito. Muito a ser vivido.
Ainda existem "aindas” ...


Um comentário:

  1. Lindo te ler e sobretudo a poesia da frase:Ainda existem aindas...Sempre existem mesmo! bjs, chica

    ResponderExcluir