terça-feira, 6 de abril de 2010

Sobre a chuva, olimpíadas e mímicas

Sou apaixonada pelo Direito, pelas leis, pelas aulas de Constitucional de um professor motoqueiro, pelo artigo 5º. da Constituição (que acho o mais bonito de toda nossa legislação), na verdade, sou fã incondicional de nossa Carta Magna e não há cristão no mundo que mude isso! Fato é que o artigo em questão me dá o respaldo para tecer meus mais ávidos comentários sem que tenha a casa invadida no meio da noite e, irei exercer este direito agora!



Art. 5º



IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato;



IX - é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença;



Todos os brasileiros estão vivendo a excitação e euforia do Rio de Janeiro ter sido escolhido como sede dos jogos Olímpicos de 2016. Tudo está girando em torno deste acontecimento, seja positiva ou negativamente. Se uma obra é feita, seja a construção de uma marquise ou de uma arena cultural, está contribuindo para a realização dos jogos. Se um alagamento engarrafa a Avenida Brasil, por quase quatro horas, pensamos apenas na imagem que deixaremos para os turistas durante os jogos de 2016. Pensamos? Eu não, cara pálida!



Eu fico mais brava que siri na lata quando escuto “E ainda querem fazer as Olimpíadas aqui, o que os turistas irão pensar do Rio”? Eu não estou nem aí para a opinião dos turistas, estou preocupada com os moradores desta cidade que precisam passar por este (e outros tantos) problema (s) e sem a menor preocupação por parte das autoridades. Nós sabemos que na hora dos holofotes, muitas coisas serão maquiadas, como aconteceu com o Pan, mas a vida real, o dia a dia até (e depois) dos jogos, somos nós, pagadores de impostos que encaramos. Quem se preocupa com o opinião desta massa?

 

Pela janela do ônibus, durante quase três horas na Avenida Brasil, vi pessoas aterrorizadas com a água invadindo seus carros, ameaças de assaltos, e a total falta de infra estrutura que a cidade “Maravilhosa” presenteia seus moradores diariamente. As Olimpíadas vão durar 30 dias, mas e os outros dias, quem cuidará de nós? Não tem Chapolim que faça os bolsões de água diminuir; segurança eficaz para transitarmos numa noite como a de hoje.



Foi a pior chuva nos últimos 70 anos, e a ineficácia das obras feitas (e refeitas tantas vezes) foi evidente. Os bolsões sempre voltam, a prefeitura repete que não tem controle sobre fenômenos naturais, mas sabemos que um pouco de boa vontade e compromisso com o dinheiro público dariam outro aspecto a mesma Avenida. (Tenho certeza que não veria um estrado de madeira atropelando um automóvel que tenta escapar da enchente.) CANSEI de ver, e ouvir, as pessoas falando dos jogos que estão para acontecer e aceitam passivamente morros desmoronando e ruas alagadas. Basta de tanta hipocrisia, alegria diante de um filme de Fernando Meireles e olhos fechados para uma notícia do G1! Está na hora de mudarmos este olhar sobre os jogos Olímpicos, turista pode encontrar um Rio bonito, agradável, seguro, mas antes, somos nós, cidadãos desta terra que merecemos uma cidade assim!



Mesmo tendo chegado em casa às 23:05h, encarado 3 horas de engarrafamento na Brasil, muita chuva quando desci do ônibus e esperado mais 27 minutos pela baldeação, eu não considero uma noite perdida, não me afundei em mau humor. Fui agraciada pela companhia de bons amigos que ao invés de dormirem ou resmungarem pelo castigo coletivo, resolveram brincar de mímica e dar boas risadas tentando entender meus gestos para “As Crônicas de Nárnia”.


***

Dito isto, informo que agora tenho um novo canal para contato: escritoraemconstrucao@bol.com.br. Percebi a dificuldade de algumas pessoas em deixar suas críticas, elogios, sugestões, no campo ‘coments’, mas me enviavam por e-mail, falavam na fila do almoço, ou no ponto do ônibus. De agora em diante, utilizarei este e-mail para receber as impressões daqueles que se acanharem diante do comentário público. Não importa a maneira, eu quero saber de qual forma os textos estão chegando do outro lado da tela, é deste jeito que vou me constuindo como escritora.

Boa semana!!


05/04/10





2 comentários:

  1. é amiga não foi fácil pra ninguém essa noite, mas uma coisa eu aprendi, não devemos reclamar das pequenas coisas, mesmo que a princípio a vejamos de forma estrondosa, mas reparando ao redor,veremos que existem situações mais terríveis... bom descanso amiga, hj vc mereçe...

    ResponderExcluir
  2. Oi, Ana!
    Graças a Deus, estou de férias. Mas enfrentei fortes chuvas voltando de Campinas e imagino o sufoco da turma do linha 1 na volta para casa segunda-feira.
    Bjs pra vc

    ResponderExcluir